Notícias

Japão anuncia envio de navio e aviões militares ao Oriente Médio

©Japanese Maritime Self Defense

Japão optou por iniciar sua própria operação no lugar de se juntar a uma missão com os EUA. A ideia é proteger as embarcações japonesas na região.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O governo do Japão anunciou nesta sexta-feira que enviará um navio de guerra e aviões de patrulha ao Oriente Médio para proteger suas embarcações, visto que a situação na região continua volátil e o país asiático está preocupado porque o local representa cerca de 90% de suas importações de petróleo, informou a agência de notícias Reuters.

Conforme o plano aprovado pelo gabinete do primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, um contratorpedeiro equipado com um helicóptero e dois aviões de patrulha P-3C serão despachados para coletar informações visando a passagem segura de embarcações japonesas pela região.

Se houver emergências, uma ordem especial será emitida pelo ministro da Defesa do Japão para permitir que as forças usem armas para proteger navios em perigo.

“Ter paz e estabilidade no Oriente Médio é extremamente importante para a paz e a prosperidade da comunidade internacional, incluindo o Japão”, disse o secretário-chefe de gabinete e porta-voz do governo japonês, Yoshihide Suga, em uma coletiva de imprensa rotineira.

Suga ressaltou ainda que “é muito importante garantir que navios relacionados ao Japão possam navegar seguramente no Oriente Médio, visto que a região é a maior fonte de energia do mundo”.

O atrito entre o Irã e os Estados Unidos aumentou desde o ano passado, quando o presidente Donald Trump retirou seu país de um acordo nuclear internacional firmado em 2015 com o regime e reativou suas sanções contra este, prejudicando sua economia.

Em maio e junho, houve vários ataques a navios mercantes internacionais na região, inclusive ao navio-tanque de propriedade japonesa Kokuka Courageous, que os EUA atribuíram ao Irã. Teerã nega as acusações.

Importadores e refinarias de petróleo saudaram a operação

“A situação no Oriente Médio continua imprevisível (…) Acreditamos que a decisão, tomada nesse contexto, beneficiará a passagem segura de navios na região”, afirmou em comunicado o presidente da Associação de Petróleo do Japão, Takashi Tsukioka.

O Japão, um aliado dos EUA e que manteve laços amigáveis ​​com o Irã, optou por iniciar sua própria operação no lugar de se juntar a uma missão liderada pelos EUA para proteger o transporte marítimo na região.

Na semana passada, Abe informou ao presidente iraniano Hassan Rouhani sobre o plano de Tóquio de enviar forças navais para o Golfo.

A operação planejada deve cobrir o alto mar no Golfo de Omã, no norte do Mar Arábico e no Golfo de Áden, exceto o Estreito de Ormuz.

Início das operações do Japão no Oriente médio

O governo japonês pretende iniciar a operação dos aviões de patrulha no próximo mês, enquanto o destróier provavelmente iniciará atividades na região em fevereiro, disse uma autoridade do Ministério da Defesa.

A decisão do governo é válida por um ano até 26 de dezembro de 2020. É necessária uma nova aprovação do gabinete para estender as atividades das forças armadas do Japão no Oriente Médio.

Com Agência Reuters / Tradução e Edição do Mundo-Nipo.com (MN).

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •