Política

Japão critica situação dos direitos humanos na China

As críticas são referentes às detenções de cinco ativistas pró-direitos humanos na última terça-feira.

Do Mundo-Nipo

Japão criticou a situação dos direitos humanos na China nesta sexta-feira (9), em referência a notícias de que o governo chinês teria detido ativistas pró-direitos humanos à frente do 25º aniversário da repressão de 1989, na Praça da Paz Celestial, em Pequim.

“Se as notícias forem verdadeiras, temos que estar preocupados com a situação”, disse o ministro do Exterior do Japão, Fumio Kishida, a repórteres.

Kishida fez os comentários quando perguntado sobre relatos de que o proeminente advogado de direitos humanos Pu Zhiqiang e mais quatro ativistas foram detidos na terça-feira (6), após participarem de um evento para marcar o aniversário da sangrenta repressão de manifestações em torno da Praça da Paz Celestial (Praça Tiananmen), em 04 de junho  de 1989.

Pu Zhiqiang é um destacado advogado que atua na defesa da liberdade de expressão e representa muitos dissidentes, incluindo o artista Ai Weiwei e um ativista do “Movimento dos Novos Cidadãos”, um grupo que faz campanha para que os líderes chineses divulguem seus bens.

“Nós acreditamos que a liberdade, o respeito pelos direitos humanos básicos e do Estado de Direito são valores universais que têm de ser compartilhados pela comunidade internacional”, declarou Kishida.

(Do Mundo-Nipo com Agência Kyodo)

 


Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Deixe uma resposta