Política

China e Coreia do Sul criticam visita do premiê do Japão ao Santuário Yasukuni

A China e a Coreia do Sul consideram o santuário um símbolo do passado militarista do Japão.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Do Mundo-Nipo

Shinzo Abe em visita ao Santuário Yasukuni (Foto: Kyodo)

É a primeira visita de um premiê japonês ao santuário em sete anos. (Foto: Kyodo)

A China e a Coreia do Sul criticaram nesta quinta-feira a visita do primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, ao Santuário Yasukuni, em Tóquio.

Abe visitou o santuário Shinto, que homenageia criminosos Classe-A da 2ª Guerra Mundial, nesta quinta-feira, exatamente um ano após assumir o cargo de premiê. É a primeira visita de um premiê japonês em sete anos.

O Ministério das Relações Exteriores da China exigiu que o governo japonês refletisse sobre as agressões praticadas em períodos de guerra no passado e chamou a visita de “inaceitável para o povo chinês”. Enquanto a Coreia do Sul considerou um “ato deplorável e anacrônico”, que pioraria as relações bilaterais.

A China e a Coreia do Sul consideram o santuário um símbolo do passado militarista do Japão.

Abe, que não visitou o santuário durantes os festivais de primavera e outono para evitar tensões com os vizinhos, disse nesta quinta-feira que é natural um líder nacional rezar pelas almas daqueles que lutaram e morreram pelo seu país.

O chanceler japonês, Fumio Kishida, declarou hoje que é importante mostrar respeito por aqueles que deram suas vidas pelo país.

Ele disse que as visitas ao Yasukuni por parte de políticos e ministros são uma questão pessoal, e não devem tornar-se questões políticas ou diplomáticas.

O ministro da Defesa do Japão, Itsunori Onodera, foi questionado se a visita de Abe prejudicará as relações com países vizinhos.

Onodera disse que os EUA e Coreia do Sul são aliados fundamentais do Japão em termos de segurança e se comprometeu em manter relações de cooperação.

 


Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta