Curiosidades

Brinquedo semelhante ao bilboquê vira febre entre os adultos no Japão

O kendama passou a ser motivo de espetáculo entre os adultos, que exibem suas habilidades em eventos…

Do Mundo-Nipo

é o nome de um brinquedo japonês que é bem parecido com o bilboquê brasileiro. O brinquedo, muito antigo, já há algum tempo está voltando a ser destaque e agora virou febre entre os adultos no Japão.

 

Kendama (Foto: Japan Tour 2012)

kendama é motivo de espetáculo entre os adultos (Foto: Japan Tour 2012)

 

Diferente dos tempos em que era brinquedo exclusivo para crianças, o kendama agora passou a ser motivo de espetáculo entre os adultos, com um crescente número de adeptos exibido suas “habilidades” em eventos e até mesmo em casas de show no Japão e em outros países. Milhares estão fazendo a mesma coisa na internet.

O kendama é muito parecido com o bilboquê, do Brasil, principalmente porque ambos consistem em uma esfera maciça que é presa por uma corda numa espécie de suporte. A diferença é que o suporte do Kendama tem quatro pontas, como uma cruz. Além da ponta onde encaixa o furo da esfera, há mais três locais onde se pode apoiar a bola. É preciso muito mais habilidade para fazer todos os movimentos e possibilidades do brinquedo.

 

Brinquedos bilboquê e kendama (Foto: Reprodução)

Bilboquê, à esquerda, e kendama, à direita (Foto: Reprodução)

 

Apesar de ser “coisa de criança”, é preciso muito treino para ir além das manobras mais simples, de acordo com Takeshi e Hiroki, que se apresentam com diferentes coreografias e estilos. Eles contaram ao ‘Jornal da Globo’ que levam quase quatro meses ensaiando para combinar música e manobras.

Entretanto, apesar de ser um brinquedo bastante divertido, a bola é maciça e exige certo cuidado no início, pois se bater em qualquer região do corpo pode causar, além de fortes dores, hematomas que vão desde leve a grave.

 


Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Deixe uma resposta