Curiosidades

Os 10 maiores mitos já inventados sobre automóveis

Confira algumas das ideias preconcebidas mais loucas que existem sobre os automóveis.

Do Mundo-Nipo

Viaturas policiais são mais velozes, seguros para carros vermelhos são mais caros e carros podem funcionar com água são apenas alguns dos muitos mitos envolvendo automóveis.

 

10 mitos sobre automóveis (Imagem: Edição Mundo-Nipo)

Mitos sobre automóveis (Imagem: Edição Mundo-Nipo)

 

Confira abaixo as 10 ideias preconcebidas mais loucas sobre carros:

 

1. Combustível de avião faz os carros andarem mais

A potência do carro é influenciada pelo motor e suas capacidades, principalmente, e não pelo combustível utilizado. Mesmo um combustível com mais octanas que o habitual (caso do combustível para aviões), um BMW Serie 1 nunca irá superar um BMW M5. Da mesma forma que, mesmo circulando a altas velocidades, umas asas não transformam um carro num avião, portanto, usar combustível de aeronaves também não vai fazer o seu carro “voar” sobre o asfalto.

 

2. Os carros usados pela polícia são mais rápidos

A não ser em Dubai, onde a polícia pode comprar Mclarens e Lamborghinis.  Entretanto, para a maioria das forças de segurança o mais importante nos seus carros é a resistência e durabilidade. Assim, colocar num carro usado pela polícia um kit de potência não é usual, embora algumas viaturas descaraterizadas possam esconder algo mais debaixo do capô.

 

3. Quanto maior for o carro, mais seguro ele é

É de conhecimento geral que, quanto maior o carro, menor é sua estabilidade nas curvas. Embora carros maiores apresentem uma estrutura de formação mais complexa, o impacto gerado por uma colisão terá o mesmo efeito de um carro com proporções normais. Tudo depende da qualidade dos materiais, da engenharia e dos itens de segurança inclusos na fabricação de cada automóvel.

 

4. Carros podem funcionar com água

Infelizmente, a ideia não é verdadeira. Apesar de que seria maravilhoso poder ir até a fonte mais próxima e encher uma garrafa para simplesmente reabastecê-lo. O processo de eletrólise que transforma a molécula da água em oxigénio e hidrogénio não compensa em termos energéticos o suficiente para mover um carro, por isso preferível usar o hidrogénio já convertido. Segundo explicam os cientistas, tal ideia iria violar a primeira e a segunda lei da termodinâmica. No momento, o único dispositivo do carro que funciona com água é o limpador de para-brisas.

 

5. Gasolina mais cara dá mais potência ao carro

Conforme o primeiro ponto deste artigo se refere, o número de octanas não tem correlação com a potência do carro e, portanto, não o faz andar mais. Usar gasolina de 98 octanas em vez de 95 octanas irá apenas ajudar a conservar o motor do carro, aumentando assim o seu período de vida e não a potência.

 

6. O óleo deve ser mudado a cada 3.000 quilômetros

Há muitos anos, quando ainda não existia internet, esta frase era verdadeira, mas com a evolução na fabricação dos motores e também no desenvolvimento de óleos sintéticos, esta ideia tornou-se obsoleta. Anteriormente, há décadas, a menor qualidade de construção, com maior espaço entre as peças, permitia entrar muita sujeira nos motores, o que reduzia a quilometragem para as trocas de óleo. Atualmente, um condutor cuidadoso troca o óleo do seu carro a cada 10.000 ou 15.000 quilômetros.

 

7. Apólices de seguros são mais caras para carros vermelhos

Talvez por muitas das marcas de luxo apresentar seus modelos esportivos na cor vermelha, há quem tenha a ideia de que comprar um carro dessa cor irá significar um valor mais elevado na apólice do seguro automóvel. No entanto, nenhum simulador de seguros usa a escolha de uma cor (exceto nos casos específicos em que seja uma opção de preço elevado) como elemento de avaliação no preço do seguro. Uma curiosidade é que, no entanto, estatísticas indicam que carros vermelhos nas capas das revistas aumentam as vendas das publicações.

 

8. Rodas mais larga fazem o carro andar mais

Quando se colocam rodas maiores num carro, as sensações de condução podem melhorar e fazer o condutor sentir-se mais confiante na sua condução, o que leva-lo a dirigir de forma mais agressiva. Por esta situação, pode existir a ideia de que as rodas maiores fazem o carro andar mais. Na verdade, elas apenas ajudam o condutor a poder conduzir de forma mais ágil, não representando um aumento direto do valor da velocidade máxima do carro.

 

9. Quanto mais alta a mudança, mais anda o carro

Essa ideia é real em praticamente todas as mudanças do carro, mas não tem fundamento quando se faz uma passagem da quinta para a sexta mudança em carros com uma caixa de seis velocidades. Nesta situação, a sexta mudança tem como função aliviar o esforço do motor, e não para aumentar mais rapidamente a velocidade. Um grande exemplo disso é quando se requer fazer uma ultrapassagem em uma estrada com apenas uma faixa de trânsito em cada sentido, o melhor mesmo é reduzir a caixa de mudanças para a quinta marcha.

 

10. O Ford Modelo T só foi vendido em preto

Talvez por ter sido o primeiro automóvel produzido em massa, existe o mito de que, para reduzir os custos da produção, só foi comprada tinta preta para pintar estes veículos porque, na época, era mais barato adquiri-la em maior quantidade. Embora os primeiros Ford Modelo T tenham sido todos pintados na cor preta, ao longo dos vários anos de produção foi possível adquirir o modelo em vermelho, verde, cinza, entre outras cores.

 

Ford Modelo T na cor vermelha de fábrica (Foto: Car News)

Ford Modelo T na cor vermelha de fábrica (Foto: Car News)

 

(Fonte: Revista Turbo)

 


Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Deixe uma resposta