Meio ambiente e Energia

Milhares protestam contra energia nuclear em Tóquio

Cerca de 7.500 pessoas se reuniram em um parque no centro da capital japonesa.

Do Mundo-Nipo

Protestos conta energia nuclear em Tóquio (Foto: Aflo Images)

Cerca de 7,5 mil manifestantes marcharam pela capital japonesa segurando cartazes antinucleares (Foto: Aflo Images)

Milhares de manifestantes antinucleares se reuniram em Tóquio neste domingo (2), em meio as recentes declarações do primeiro-ministro Shinzo Abe quanto a considerar a reativação de reatores do país, informou a imprensa japonesa.

Os organizadores disseram que cerca de 7.500 pessoas se reuniram em um parque no centro da capital japonesa, incluindo os afetados pelo desastre em Fukushima e celebridades, como o ganhador do Nobel de literatura Kenzaburo Oe.

Os manifestantes depois marcharam pela capital segurando cartazes antinucleares, incluindo um que dizia: “No Nukes! Unevolved Apes Want Nukes!” (Sem armas nucleares! Macacos subdesenvolvidos querem armas nucleares!).

Eles também protestaram em frente à sede da Companhia de Energia Elétrica de Tóquio (Tepco, na sigla em inglês), operadora da usina nuclear Fukushima Daiichi, que foi danificada pelo terremoto e tsunami de 11 de março, no pior acidente nuclear desde Chernobyl.

Abe, cujo Partido Liberal Democrata (PLD) tem laços estreitos com poderosos círculos de negócios do país, tem afirmado repetidamente que permitirá a reativação dos reatores se a sua segurança for atestada.

O Japão desligou seus 50 reatores para verificações de segurança na sequência do desastre nuclear na usina nuclear de Fukushima em março de 2011, mas recentemente reiniciou dois deles, citando uma possível escassez de energia no verão japonês.

 

Veja mais notícias sobre Meio Ambiente e Energia em mundo-nipo.com/meio-ambiente-e-energia. Siga também o Mundo-Nipo no Twitter e Facebook.

 


Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Comentários