Notícias

Premiê japonês viaja aos EUA para reunião com Trump

Foto: Reprodução/NHK

Abe irá à Casa Branca acompanhado dos ministros das Finanças e dos Negócios Estrangeiros.

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, partiu rumo os Estados Unidos nesta quinta-feira (9), para sua primeira reunião de cúpula com o presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump.

Abe falou á repórteres antes de partir do aeroporto de Haneda, na noite desta quinta-feira (hora local). Ele disse esperar que a cúpula “envie uma mensagem clara de que a aliança Japão-EUA se tornará mais forte e mais resistente do que nunca”, conforme noticiou a emissora pública ‘NHK’     .

Funcionários governamentais japoneses realizaram hoje as negociações finais com a Casa Branca. Segundo a ‘NHK’, eles visam delinear um novo mecanismo para que membros do gabinete de ambos os governos discutam políticas macroeconômicas e comerciais.

Anteriormente, Trump havia expressado disposição em desenvolver um acordo comercial bilateral com o Japão, apesar do desconforto acarretado pela saída dos Estados Unidos no Tratado Transpacífico de Comércio Livre (TPP, sigla em inglês), o mais importante acordo comercial internacional assinado pelo ex-presidente Barack Obama. A retirada ocorreu no dia 23 de janeiro deste ano, por meio de decreto assinado por Trump.

Abe estará acompanhado dos ministros Taro Aso, das Finanças, e Fumio Kishida, dos Negócios Estrangeiros, em sua visita à Casa Branca. O encontro do premiê japonês com o presidente americano está agendado para sexta-feira.

Durante a cúpula, “o líder da terceira maior economia do planeta espera construir um relacionamento pessoal de confiança com Donald Trump, destacou hoje o jornal ‘The Asahi Shimbun’, acrescentando que Abe também planeja trocar opiniões sobre uma ampla gama de assuntos, incluindo diplomacia, segurança e economia.

Segundo a ‘NHK’, funcionários do governo disseram que Abe tenciona, principalmente, “confirmar com Trump que ambos os países trabalharão em conjunto para estreitar sua aliança e concordar em desenvolver relações econômicas que beneficiarão os dois lados”.

“O premiê está ansioso para mostrar que a aliança nipo-americana continua forte”, disseram.

Comentários