Notícias

Vendas do McDonald’s no Japão despencam 25% em agosto

O número de clientes recuou 16,9%, refletindo o temor sobre a segurança alimentar.

Do Mundo-Nipo com Agências

O McDonald’s Holding Co, no Japão, informou que suas vendas caíram 25% em agosto na comparação com e mesmo mês do ano anterior. Trata-se da maior queda anual desde que a empresa tornou-se pública, em 2001, refletindo o temor sobre segurança alimentar após o escândalo da carne estragada proveniente de uma fornecedora da China, o que manteve os clientes japoneses longe da rede de fast food.

 

McDonald's Japão (Foto: SXCPhotos)

Mesmo antes do escândalo da carne vencida, as vendas da rede no Japão já estavam caindo este ano (Foto: SXCPhotos)

 

Em um comunicado nesta terça-feira (9), o McDonald’s Japão disse que as vendas em lojas abertas há pelo menos 13 meses caíram 25,1% em agosto, enquanto o número de clientes recuou 16,9%, principalmente devido a preocupações com a segurança alimentar.

Em julho, uma matéria de uma TV chinesa alegou que um fornecedor de redes de fast food, incluindo McDonald’s e a rival Yum Brands, tinha tratado a carne indevidamente e usado alimentos vencidos.

“No momento, não sabemos por quanto tempo o impacto (da crise alimentar) vai durar”, disse um porta-voz do McDonald’s Japão.

Mesmo antes do susto, as vendas da rede no Japão já estavam caindo este ano devido ao aumento da concorrência com lojas de conveniência. A maior prova disso são as vendas acumuladas desde o início de 2014, já que agosto foi o sétimo mês consecutivo de declínio de vendas no ano-a-ano.

Depois do temor sobre segurança alimentar, o McDonald’s Japão chegou a retirar suas previsões de lucro para o ano e disse, na ocasião, que suas vendas tinham caído de 15 a 20 por cento em uma base diária em comparação com as projeções originais.

(Com informações das agências Reuters e Kyodo)

 


Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Comentários

Deixe de comentário

*