Notícias

Dólar tem 2ª alta seguida, mas termina a semana em queda

Foto: Full Pictures

Apesar da alta no dia, o dólar encerrou a semana com desvalorização de 0,64%.

O dólar subiu pelo segundo dia seguido frente ao real nesta sexta-feira (23), mas terminou a semana com queda acumulada. O resultado da moeda americana no mercado local seguiu o movimento no exterior, onde a queda nos preços do petróleo afetou o apetite por ativos de risco, segundo a agência de notícias ‘Reuters’.

O dólar subiu 0,66%, cotado a R$ 3,2472 na venda, após bater R$ 3,2025 na mínima do dia.

Apesar da alta no dia, o dólar encerra a semana com desvalorização de 0,64%. No mês, acumula ganhos de 0,55% e, no ano, baixa de 17,75%.

O recuo forte do preço do petróleo influenciou no comportamento da moeda norte-americana, com a notícia de que a Arábia Saudita não espera decisão sobre o mercado de petróleo em encontro na Argélia.

No começo da sessão, o dólar operou em queda, nas as baixas cotações atraíram compras de investidores e também gerou pressão de alta, assim como na véspera.

Contudo, a trajetória do dólar ainda continuava de queda, disseram operadores à ‘Reuters’. Isso porque a expectativa dos investidores é de que o Federal Reserve (Fed, banco central norte-americano) faça altas graduais da taxa de juros.

“O fundamento do dólar é para baixo. O Fed (banco central norte-americano) tirou pressão do câmbio. Se resolvermos questão política, aprovação de medidas (fiscais no Brasil), acredito em forte fluxo de entrada de estrangeiros”, comentou um operador de um banco nacional à Reuters. “A alta (do dólar) é pontual”, destacou.

Juros mais altos nos EUA poderiam atrair para lá recursos atualmente investidos em outros países onde o rendimento é maior, como é o caso do Brasil.

No mercado interno, o dólar foi influenciado pela fala do presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, na véspera. Ele reforçou a mensagem de que diminuiu o espaço para atuação no mercado de câmbio por meio de contratos de swap cambial (operação de compra ou venda de moeda no mercado futuro).

“Foi positiva a fala do Ilan, sinalizou que o BC não vai agir tão forte no câmbio, o que tira pressão altista sobre a moeda (norte-americana)”, disse mais cedo um analista de câmbio à Reuters.

Atuação do Banco Central
O Banco Central atuou no mercado de câmbio nesta sexta-feira. Como nas últimas sessões, o BC ofertou 5.000 contratos de swap cambial reverso (equivalentes à compra futura de dólares). Todos foram vendidos.

Fontes: Agência Reuters | UOL Economia.

Comentários