Notícias

Japão apreende quantidade recorde de drogas em 2016

Foto: Xpress Stock /Montagem Mundo-Nipo

Japão apreendeu uma tonelada e meia de drogas. Volume representa quase 4 vezes mais que em 2015.

A alfândega japonesa apreendeu uma quantidade recorde de drogas estimulantes, como cocaína e anfetaminas, em 2016, registrando um volume quase quatro vezes maior que o apreendido no ano anterior, informou o governo do país na quinta-feira (23).

Segundo o relatório do Ministério das Finanças, autoridades alfandegárias apreenderam aproximadamente uma tonelada e meia de drogas estimulantes em portos e aeroportos de todo o país no decorrer do ano passado.

O volume representa 3,6 vezes a quantidade apreendida no ano anterior. Trata-se ainda da maior apreensão anual desde 1985, quando dados comparáveis se tornaram disponíveis no país.

O ministério atribui a alta exponencial do tráfico de drogas ilícitas por intermédio de transportes marítimos, onde as atividades ilícitas deste tipo têm aumentado no país nos últimos três anos. A pasta observou ainda que “traficantes estão usando cada vez menos o próprio corpo como esconderijo na entrada ao Japão”.

“A grande quantidade apreendida em 2016 representa uma situação extremamente grave”, declarou um porta-voz do ministério enquanto divulgava os dados alarmantes.

Uma das maiores operações do ano passado aconteceu em maio, quando a Polícia de Okinawa, ilha no extremo sul do Japão, prendeu um grupo de taiwaneses que transportavam 597 quilos de cocaína em um barco.

Só em Okinawa, foram apreendidos 597 quilos de drogas (Foto: Kyodo)

Foi o maior volume de drogas já apreendidas em uma única operação no país, o que levou autoridades japonesas a prestarem maior atenção ao tráfico de drogas estimulantes em transportes marítimos.

O Japão é um país que aplica uma política de “tolerância zero” nos casos relacionados com posse, venda e consumo de qualquer tipo de droga, com penas que variam até cinco anos de prisão e, em casos de tráfico, sem direito a liberdade condicional.

(Com Agência Kyodo)

Comentários