Notícias

Dois fortes terremotos simultâneos atingem sul e norte do Japão

Os mapas mostram os epicentros dos tremores e as áreas afetadas (Fotos: Reprodução/JMA/ Montagem MN)

Os epicentros dos terremotos ocorreram em Hokkaido, no norte, e perto da ilha principal de Okinawa, no sul.

Dois fortes terremotos quase que simultâneos atingiram as regiões sul e norte do Japão nesta segunda-feira (26), o que abalou vastas áreas nas regiões, informou a Agência Meteorológica do Japão (JMA, sigla em inglês), acrescentando que, apesar de intensos, os tremores não provocaram risco de tsunami.

De acordo com a JMA, o primeiro terremoto atingiu magnitude de 5,5  graus na escala Richter e ocorreu às 14h18 locais (02h18 em Brasília), com epicentro registrado no mar de Urakawa, em Hokkaido (norte), a uma profundidade de 20 quilômetros.

O tremor foi sentido em uma grande área no sul de Hokkaido e norte de Aomori, com intensidade máxima de 4 graus na escala japonesa, que vai até 7.

Sete minutos depois, um tremor de magnitude 5,7 graus na escala Richter atingiu a região sul do país, às 14h25 locais (02h25 em Brasília), com epicentro no mar, perto da ilha principal de Okinawa, a uma profundidade de 40 quilômetros.

O tremor foi sentido mais intensamente nas ilhas ao sul de Kagoshima, com intensidade de 5- graus na escala japonesa, que considera o nível de abalo sentido na superfície da terra, enquanto o grau de magnitude equivale à intensidade do terremoto no epicentro.

Segundo a agência de notícias ‘Kyodo’, até o momento, não há relatos de vítimas ou danos causados a infra-estruturas. Mas a JMA alerta para grandes possibilidades de réplicas (tremores secundários).

Desde a semana passada, o Mar do Pacífico Norte, na costa leste do Japão, tem registrado fortes tremores, de magnitudes entre 4 e 6,5 graus, o que tem preocupados estudiosos, já que “sequência de sismos fortes no fundo do mar, em espaços curtos, sugere prenúncio de tremores em grande escala, podendo provocar tsunamis em amplas regiões costeiras do arquipélago japonês e áreas vizinhas”, detalhou estudiosos consultados pela ‘Kyodo’.

O Japão faz parte do chamado ‘Anel de Fogo do Pacífico’, uma das zonas sísmicas mais ativas do mundo, e sofre terremotos diariamente. Mediante a isso, o país possui uma infraestrutura desenvolvida para resistir tremores que poderiam ser fatais em outras partes do mundo.

*Para saber mais detalhes, como áreas atingidas e suas respectivas intensidades dos tremores, visite a página com os dados dos terremotos no site oficial da JMA.

Comentários