Notícias

Japão pede à ONU novas sanções contra Coreia do Norte

Foto: Kyodo/KCNA

Japão está preocupado pela série de testes com mísseis balísticos efetuado pela Coreia do Norte.

Preocupado com a série de testes com mísseis balísticos efetuados pelo regime do ditador norte-coreano Kim Jong-Un, o Japão pressionou o Conselho de Segurança da ONU, nesta terça-feira (30), para que considere novas sanções contra o país vizinho, alegando que os lançamentos balísticos, todos efetuados em direção ao Mar do Japão, representam uma ameaça para a região e para o mundo.

Na última sexta-feira, o Conselho condenou a série de lançamentos e concordou em adotar uma declaração unânime apoiada pela China para tomar “novas medidas significativas”, de acordo com a agência de notícias France Press.

“O número de ações provocadoras tomadas pela Coreia do Norte foi fenomenal”, disse o embaixador japonês, Kero Bessho, ao fim de uma reunião a portas fechadas do Conselho.

Bessho destacou que o alto número de lançamentos leva a crer que há um significativo avanço nos programas de tecnologia nuclear e mísseis na Coreia do Norte.

“Representam uma séria ameaça à região e ao mundo inteiro”, disse ele à imprensa.

A Coreia do Norte já foi cinco vezes sancionada pela ONU desde que fez seu primeiro teste nuclear, em 2006.

Bessho observou que 52 países apresentaram informes detalhados de seus esforços para fazer cumprir a resolução 2270, mas acrescentaram que é necessário agregar mais sanções.

“Para o Japão, sentimos que são necessárias mais sanções”, afirmou o diplomata.

A ONU proibiu a Coreia do Norte de usar qualquer tecnologia para mísseis balísticos, mas Pyongyang já fez vários lançamentos depois de seu quarto teste nuclear em janeiro passado.

A decisão do Conselho foi adotada após várias rodadas de negociações com a China, aliada de Pyongyang, a qual insistiu recentemente na necessidade de evitar uma escalada de tensão na península da Coreia.

O último teste balístico da Coreia do Norte ocorreu na semana passada e deixou a comunidade internacional preocupada, em vista de que o lançamento foi efetuado a partir de um SLBM (lançamento de míssil partindo de um submarino) e foi bem sucedido. A distância percorrida pelo míssil, de 500 quilômetros, representou um grande progresso em relação aos testes SLBM norte-coreanos.

Com informações das agências France Press e Kyodo.

Comentários