Política

Premiê japonês inicia viagem a cinco países da América Latina

Abe partiu nesta sexta-feira em direção a América Latina, onde visitará cinco países, incluindo o Brasil.

Do Mundo-Nipo

Shinzo Abe parte rumo a América Latina (Imagem: Reprodução/NHK)

Abe partiu a bordo de um avião da Força Aérea de Autodefesa do Japão (Imagem: Reprodução/NHK)

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, partiu nesta sexta-feira (25) de Tóquio em direção a América Latina, onde realizará um giro de dez dias por cinco países do continente.

Abe partiu a bordo de um avião da Força Aérea de Autodefesa do Japão, que decolou na manhã de hoje a partir do Aeroporto Internacional de Tóquio (Haneda) rumo ao México. A turnê do premiê à América Latina incluiu ainda Trinidad e Tobago, Colômbia, Chile e Brasil, antes de voltar ao Japão no dia 4 de agosto, de acordo com a Agência Kyodo.

Falando à imprensa antes de partir, Abe disse que terá percorrido todos os continentes depois de sua viagem, a qual denominou de ‘visão diplomática do globo’. Ele manifestou esperança de fortalecer os laços com os países da região.

Abe acrescentou que, com uma população de 600 milhões, a América Latina é um novo mercado promissor com um potencial ilimitado. O líder da terceira maior economia do mundo se mostrou ansioso em tentar explorar oportunidades de negócios na região. Segundo a emissora pública ‘NHK’, cerca de 70 executivos de corporações japonesas acompanharão a turnê de Abe.

Esta é a primeira vez em 10 anos que um premiê japonês visita oficialmente a América Latina. Durante a viagem, Abe vai procurar promover exportações no setor de infraestrutura e procurar também conseguir a cooperação dos líderes desses países para ajudar as companhias japonesas a ingressarem no mercado local. O premiê japonês também espera conseguir um fornecimento estável de recursos naturais para o seu país.

(Com informações da NHK News e Agência Kyodo)

 


Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Comentários

Deixe de comentário

*