Datas festivas

Gion Matsuri: “Festival de um mês em Kyoto”

O Gion Matsuri ou Festival de Gion é um dos três maiores festivais do Japão. Rituais tradicionais, desfiles e eventos são realizados durante todo o mês de julho em Kyoto.

O Gion Matsuri ou Festival de Gion é um dos três maiores festivais do Japão, que acontece anualmente em Kyoto. Rituais tradicionais e eventos relacionados a este incrível festival são realizados durante todo o mês de julho e é coroado com o ‘Grande Desfile Yama Hoko’, em 17 de julho. Esse evento leva o nome do distrito de Gion.

 

Gion Matsuri (Foto: Aflo Images)

O Gion Matsuri é um dos festivais com a duração mais longa do mundo (Foto: Aflo Images)

 

 

Origem do Gion Matsuri

Festival de Gion em Kyoto (Foto: Kyoto Guide / Divulgação)

Festival de Gion em Kyoto (Foto: Kyoto Guide / Divulgação)

Este festival teve origem como parte de um ritual de purificação (goryo-e), criado para acalmar os deuses.

Ao longo da história, o Japão sofreu com uma série de epidemias, pestes, tempestades, inundações, tufões, terremotos, tsunamis entre outras tantas catástrofes naturais e doenças que, no entanto, eram vistas como sinais de que os deuses estavam infelizes.

Em 869, o povo estava sofrendo com uma série de pragas e pestes, cuja autoria foi atribuída à divindade Gozu Tenno. O Imperador Seiwa, então, ordenou ao povo que rezasse para o deus do Santuário Yasaka, também conhecido como o Santuário Gion.

Para tal ritual, foi mandado preparar 66 alabardas decoradas e estilizadas, uma para cada província do antigo Japão, e colocadas no Jardim de Shinsen (shinsen-en), juntos com os santuários portáteis (Mikoshi), do Santuário Yasaka.

Essa prática se repetia sempre que algum surto de doenças ou catástrofe natural ocorria. Mas foi em 970 que o ritual foi decretado como um evento anual e desde então raramente não ocorre. Com o passar do tempo, a classe mercante que cada vez ficava mais poderosa e influente deixou o festival mais elaborado e, no Período Edo (1603-1868), usou o evento para ostentar sua riqueza.

Em 1533, o Shogunato Ashikaga suspendeu todos os eventos religiosos no Japão. O povo, porém, apesar da ordem, protestou em defesa do evento, alegando que poderiam ficar sem os rituais, mas não sem a procissão. Este acontecimento marcou a evolução do festival para sua atual forma. Carros alegóricos menores, que foram perdidos ou danificados com o passar dos séculos, foram restaurados e os tecelões da região de Nishijin ofereceram novos itens de tapeçaria para substituir os danificados. Quando não estão em uso, os carros alegóricos e os enfeites são guardados em depósitos no centro do distrito comercial de Kyoto.

 

Composição dos festejos no decorrer do Gion Matsuri

 

Naginata-boko Osendo

No primeiro dia do mês de julho acontece o Naginata-boko Osendo. Chigo, o menino sagrado que cavalga sobre o líder Naginata-boko, visita o Santuário Yasaka para rezar pela segurança durante o festival.

 

Dia 10 de julho:

Omukae Chochin

Homens e crianças vestindo quimonos típicos partem do Santuário Yasaka para receber os santuários portáteis Mikoshi (semelhantes a lanternas) no final da tarde.

Mikoshi Arai (purificação)

Durante o festival, as divindades do Santuário Yasaka passam a residir em um santuário temporário chamado Otabisho (no lado sul de Shijo, a leste de Teramachi). Antes de mover as divindades nos santuários portáteis, os Mikoshi são purificados nas águas do rio Kamo.

 

Mikoshi Arai (Foto: Kyoto / Guide Divulgação)

Cerimônia da purificação Mikoshi Arai (Foto: Kyoto / Guide Divulgação)

Omukae Chochin (Foto: Kyoto Guide / Divulgação)

Fiéis carregando os santuários portáteis Mikoshi (Foto: Kyoto Guide / Divulgação)

 

Dias 12 e 13 de julho:

Hoko e Yama: Símbolos e orgulho da Comunidade

Carros alegóricos do Festival de Guion (Foto: Kyoto Guide / Divulgação)

Carro alegórico Hoko (Foto: Kyoto Guide / Divulgação)

O festival conta com 32 carros alegóricos, que são montados nas comunidades a que pertencem. São 23 carros alegóricos Yama e nove carros alegóricos Hoko. Os carros Yama são menores, pesando, em mécia, cerca de 1,5 toneladas e com mais de 6 metros de altura. Estes pçesados carros, geralmente desfilam carregados por muitas pessoas. Os Yama retratam cenas da história e da mitologia japonesa e também da chinesa – são considerados carros sagrados.

Já os Hoko são geralmente grandes carros alegóricos de 2 andares. Pesam de 5 a 12 toneladas e podem atingir a altura de 25 metros. A maioria tem grandes rodas de madeira e são puxados por cerca de 50 pessoas. O segundo andar é onde os músicos e os meninos sagrados sentam. Ao contrário do Yama, o Hoko possui telhado e muitas vezes têm longos mastros como polos no topo.

Ensaio

No dia 12 de julho, o povo de cada respectiva comunidade ensaia o transporte dos carros recém-construídos, ao som de música Gion Bayashi, para garantir que todos estão prontos para o grande desfile no dia 17.

Santuário Yasaka recebe a visita de Naginata-boko e Kuze Komagata Chigo

No dia 13 de julho, o menino sagrado deste ano, Chigo, que cavalga sobre o líder Naginata-boko e o outro Chigo da região Kuze, que lidera os santuários portáteis Mikoshi no Festival Shinko-sai e Kanko-sai, visitam o Santuário Yasaka para rezar pela segurança durante o festival.

 

Dia 14, 15 e 16 de julho:

Yoi-yama

A região central de Kyoto é reservada para o tráfego de pedestres nas três noites, levando a uma parada de grandes proporções. Essas noites são conhecidas como o Yoi-yama. As ruas recebem decorações coloridas e ficam repletas de barracas com comidas típicas. As jovens se vestem com as tradicionais ‘yukata’ (kimono de verão), e andam pela região levando consigo pequenas bolsas tradicionais e leques de papel de arroz.

Byobu Matsuri (Foto: Kyoto Guide / Divulgação)

Byobu Matsuri (Foto: Kyoto Guide / Divulgação)

Byobu Matsuri

Durante as noites do Yoi-yama, algumas casas privadas do velho distrito comercial de Kyoto abrem suas portas para o público, exibindo valiosas heranças de família, em um costume conhecido como Byobu Matsuri (Festival da Tela Dobrável).

Essa é uma grande oportunidade de visitar uma residência tradicional japonesa em Kyoto, que podem chegar a ter mais de cinco séculos de existência.

Música e Artes no Santuário Yasaka

No dia 15, performances de Teatro tradicional japonês como Kabuki, Kyogen e Nô, além de músicas entoadas por Biwa, dança, esgrima, entre outras artes, são realizados no Santuário Yasaka.

Iwami Kagura

No dia 16, último das noites que compõe o Yoi-yama, uma antiga dança Shinto (xintô da religião xintoísta), chamada ‘Iwami Kagura’, é executada ao som de flautas e sinos no Santuário Yasaka.

 

Dia 17 de julho:

Grande Desfile Yama Hoko

Logo pela manhã, o líder Naginata-boko começa a avançar. Quando atinge a Rua Fuyacho, Chigo corta uma corda de palha com uma espada e o desfile começa.

 

Grande Desfile Yama Hoko (Foto: Kyoto Guide/ Divulgação)

Grande Desfile Yama Hoko (Foto: Kyoto Guide/ Divulgação)

Festival Shinko-sai (Foto: Kyoto Guide / Divulgação)

Festival Shinko-sai (Foto: Kyoto Guide / Divulgação)

 

Festival Shinko-sai

No final da tarde, as divindades do santuário que presidem o festival são transportadas do Santuário Yasaka em três Mikoshi especial (uma espécie de santuário portátil),  até o Otabisho. Mais de mil pessoas participam desta que uma das mais importantes procissões do festival.

 

Dia 23 de julho:

Música para as divindades

No começo da tarde, no Santuário Yasaka, músicas são reproduzidas através da tradicional Biwa (antigo instrumento de cordas japonês), em oferecimento as divindades.

 

Dia 24 de julho:

Hanagasa Junko e Yamahoko Junko (procissão das flores)

Na parte da manhã, cerca de dez grandes carros alegóricos, decorados com flores e tecidos coloridos, e um grande numero de mulheres usando chapéus floridos desfilam pela antiga capital japonesa. Milhares de pessoas acompanham o desfile que tem como destino o Santuário Yasaka. Várias danças são executadas como parte deste evento.

Festival Kanko-sai

No final da tarde, as pessoas se reúnem para realizar os três Mikoshi de Otabisho na volta ao Santuário Yasaka. Quando os Mikoshi chegam ao santuário, orações especiais são realizadas para acolher os espíritos de volta a sua casa. Esta cerimônia termina por volta da meia-noite.

 

Hanagasa Junko (Foto: Kyoto Guide / Divulgação)

Hanagasa Junko (Foto: Kyoto Guide / Divulgação)

Kanko-sai (Foto: Kyoto Guide / Divulgação)

Kanko-sai (Foto: Kyoto Guide / Divulgação)

 

Dia 25 de julho:

Kyogen

No início da tarde, a Família Shigeyama realiza um kyogen especial (teatro cômico) no Santuário Yasaka.

 

Dia 28 de julho:

Mikoshi Arai (purificação)

Como no dia 10, o Mikoshi é novamente realizado, purificados nas águas do rio Kamo antes de serem guardados até o ano seguinte.

 

Dia 31 de julho:

Nagoshi (Foto: Kyoto Guide / Divulgação)

Cerimônia de purificação Nagoshi (Foto: Kyoto Guide / Divulgação)

Dia de encerramento do festival com a cerimônia de purificação Nagoshi

Este evento completa um mês de festival. A cerimônia Nagoshi começa na parte da manhã no Santuário Yasaka. Uma enorme coroa circular, chamada de Chinowa, é feita de longos juncos verdes

É dito que a Coroa Chinowa é para purificar o espírito, afastar as doenças e impedir que desastres naturais aconteçam e assim garantir um ano seguro e sem malignidades até o próximo Gion Matsuri.

 

Por Maria Rosa

Principais fontes de pesquisa:

• Kyoto Guide (http://www.kyotoguide.com/ver2/thismonth/gionmatsuri.html)
• Livro: Legends of Japan | Author: F. Hadland Davis
• Livro: Japan “Dictionary Culture and Civilization” | Autores: Frederic Louis David and Alvaro Iwang
• Dicionário Shogakukan: Dicionário Universal Japonês-Português | Autor: Jaime Coelho | Editora: Shogakukan

 

Para saber mais sobre Cultura japonesa, clique em mundo-nipo.com/cultura-japonesa. Siga também o Mundo-Nipo no Twitter e Facebook.

 

 


Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso .