Notícias

Bolsa de Tóquio tem 2ª queda seguida com mercado superaquecido

O mercado acionário japonês ficou superaquecido após o índice Nikkei somar oito altas em nove sessões até segunda-feira.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A Bolsa de Valores de Tóquio fechou em queda nesta quarta-feira (4), marcando a segunda sessão consecutiva de recuo, diante de um sentimento cada vez mais forte de que o mercado acionário japonês está superaquecido, com os investidores aproveitando para realizar lucros após o índice Nikkei somar oito altas em nove sessões até a última segunda-feira, renovando máxima em 15 anos.

O Nikkei 225, índice que reúne as empresas mais negociadas da bolsa japonesa, recuou 111,56 pontos, baixa de 0,59% ante o fechamento anterior, encerrando aos 18.703,60 pontos. Mesmo com a queda, o índice se manteve perto de seu maior nível em 15 anos.

Já, o indicador Topix, que agrupa os valores da primeira seção em Tóquio, caiu 9,82 pontos, baixa de 0,64% ante o fechamento de terça-feira, encerrando o dia aos 1.517,01 pontos, mas ainda se mantendo no melhor nível em sete anos.

O volume das transações na sessão principal caiu para cerca 2,137 bilhões de ações negociadas ante 2,315 bilhões de ações na véspera.

Analistas observaram que não há dúvidas, de um ponto de vista técnico, que o mercado acionário japonês passa por um superaquecimento depois dos fortes ganhos registrados desde a semana passada até o início desta semana.

Os investidores alegaram ainda que há uma resistência técnica em superar o nível de 19 mil pontos para o índice Nikkei e que há poucos incentivos para compras no momento, com os fundos públicos de pensão, em geral mais agressivos, adotando uma postura mais cautelosa.

“O mercado já se arrasta sobre o limite de velocidade e agora está aliviando o pé do acelerador”, disse Hiroichi Nishi, gerente geral de pesquisa de ações da SMBC Nikko Securities.

O desempenho do mercado em Tóquio também seguiu as perdas de terça-feira em Nova York, um dia após o ‘Dow Jones Industrial Average’ e o ‘S & P 500’ atingirem máximas históricas e o Nasdaq Composite Index superar os 5 mil pontos primeira vez em 15 anos.

Vendas fracas de automóveis

Dados divulgados ontem mostraram que as vendas de carros foram mais fracas do que o esperado nos EUA em fevereiro, o que pesou sobre as ações dos EUA e lançou uma sombra no mercado acionário em Tóquio nesta quarta-feira, com a Nissan Motor recuando 1,8% e a Honda Motor caindo 0,7%.

Sentimento dos investidores

Além disso, o sentimento dos investidores foi abalado pelas denúncias que o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, recebeu doações questionáveis em campanha eleitoral, o que aumenta os riscos de uma nova agitação política no país. Abe, no entanto, negou as acusações.

Dólar

Enquanto isso, o dólar apresentou ganhos tímidos em relação ao iene. Quando a Bolsa de Tóquio fechou, a moeda norte-americana subia para 119,76 ienes, ante o patamar de 119,72 ienes no fim da tarde de terça-feira.

Maiores quedas

No noticiário corporativo, a maior queda foi protagonizada pela Sharp, que caiu 5,3% após a Standard & Poor’s rebaixar a neta de crédito a longo prazo para CCC+. Entre as altas, destacam-se a Nippon Steel & Sumitomo Metal, que subiu 1,6%, e a Uniqlo, que avançou 7,7%.

Dados dos EUA

Os investidores agora esperam pela divulgação do relatório sobre o mercado de trabalho dos EUA em fevereiro.

Os dados de emprego, a serem divulgados na sexta-feira, são considerados um dos principais indicadores para avaliar a saúde da economia norte-americana, e pode influenciar na decisão do Federal Reserve (Fed), banco central dos EUA, sobre o prazo de elevar a taxa de juros do país que, por sua vez, se encontra a quase zero.

Mundo-Nipo (MN)
Fontes: Agência Reuters | Nikkei Asian.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta