Notícias

Tufão deixa 2 mortos e 4 desaparecidos no Japão

©Kyodo

Além de mortos e desaparecidos, mais de 100 pessoas ficaram feridas, a maioria com ferimentos causados por vidros quebrados ou quedas.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O poderoso tufão Haishen deixou duas pessoas mortas, quatro desaparecidas e mais de 100 feridas em sua passagem pela ilha principal de Kyushu, no sudoeste do Japão, mas uma tragédia maior foi evitada graças ao alerta prévio dado pelas autoridades e a ordem para que cerca de 1,6 milhão de pessoas deixassem suas casas, informou a Kyodo News.

Por vários dias foi avisado que o Haishen, décimo tufão da temporada no Pacífico, que se aproximava do Japão pelo sul, seria excepcionalmente forte e com um raio de impacto muito amplo, por isso a população vinha sendo constantemente orientada a procurar abrigos.

Haishen tocou terra na ilha de Kyushu por volta da 0h (hora local) e, até hoje (7) pela manhã, causou estragos na região, que inclui cidades como Nagasaki, Fukuoka e Kumamoto, em direção à península coreana.

Inicialmente, a trajetória indicava no domingo que o tufão atingiria a península coreana, mas nas últimas horas começou a se desviar e passou pela costa leste, com impacto menor do que esperado inicialmente.

De acordo com o número provisório de vítimas, houve pelo duas pessoas mortas, quatro estão desaparecidas e mais de 100 feridas, a maioria com ferimentos causados por vidros quebrados ou quedas.

Uma das vítimas fatais é uma septuagenária que faleceu na cidade de Akute, na província de Kagoshima, após sofrer uma queda enquanto cumpria a recomendação das autoridades de deixar sua casa. A outra vítima fatal é um homem na província de Saga, que morreu depois de cair enquanto reforçava as janelas do segundo andar de sua casa, de acordo com as autoridades locais.

Os quatro desaparecidos, três homens e uma mulher, estavam em um prédio na cidade de Shiiba, que abrigava uma casa e um escritório de uma construtora, que foi destruído por um deslizamento de terra na encosta de uma montanha.

Tratam-se de uma mulher de 60 anos, seu filho de 30 e dois vietnamitas que trabalhavam como estagiários naquela empresa, informou a agência local “Kyodo”.

As autoridades japonesas ordenaram que 1,6 milhão de pessoas deixassem suas residências e recomendaram essa medida para mais seis milhões, embora o número de pessoas afetadas tenha diminuído ao longo do tempo.

Interrupções nos meios de comunicação

As principais operadoras de telefonia móvel, que inclui a NTT Docomo, a KDDI e a SoftBank, disseram que suas redes foram interrompidas em amplas áreas de Kyushu, bem como nas regiões ocidentais de Shikoku e Chugoku.

Interrupções nos transportes

A Kyushu Railway, que cancelou seus serviços da linha shinkansen (trem-bala), bem como outros serviços de trem, anunciou que planeja reiniciá-los na terça-feira em áreas onde foi confirmado que eles podem operar com segurança.

A West Japan Railway também interrompeu seus serviços de trem-bala Sanyo Shinkansen entre Hiroshima e Hakata, enquanto vários voos foram cancelados. Os serviços do trem-bala Tokaido Shinkansen também foram temporariamente suspensos devido à forte chuva, de acordo com a Central Japan Railway.

Ventos e chuvas recordes

A Agência Meteorológica do Japão (JMA) informou que potentes rajadas de ventos foram observadas em mais de 30 locais enquanto o tufão passava pelo sul do país.

No distrito de Nomozaki, na cidade de Nagasaki, os ventos atingiram o recorde de 213,84 quilômetros por hora na madrugada desta segunda-feira.

As chuvas também atingiram níveis recordes. Na Ilha Fukue, foi registrada uma precipitação de até 88 mm por hora. De acordo com a JMA, precipitação de até 150 mm está  prevista para a região de Tokai, no Japão central, das 24 horas às 18 horas de terça-feira, enquanto 100 mm de chuva é esperado cair na região de Kanto-Koshin, incluindo Tóquio.

*Confira fotos do caos causados pela passagem do tufão Haishen no sul do Japão.

Mundo-Nipo (MN)
Fonte: Kyodo News.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •