Notícias

Dólar recua mais de 2% ante o real diante de otimismo com China e Grécia

Apesar da forte queda de 2,3%, o dólar encerrou a 3ª semana seguida com acumulo positivo.

Do Mundo-Nipo com Agências

O dólar interrompeu uma sequência de cinco altas e fechou em queda de mais de 2% ante o real nesta sexta-feira (10), acompanhando o otimismo do cenário externo diante de melhora do mercado acionário da China e da possibilidade de acordo entre a Grécia e seus credores.

A moeda norte-americana encerrou o dia cotada a R$ 3,1612 na venda, com desvalorização de 2,30%, maior recuo desde 8 de abril, quando caiu 2,48%. De acordo com a BM&FBovespa, o movimento financeiro de hoje ficou em torno de US$ 900 milhões.

Apesar da forte queda de hoje, o dólar encerra a semana com alta acumulada em 0,7%, terceira semana seguida de alta. No mês, acumula valorização de 1,68%.

Na véspera, o dólar havia fechado praticamente estável, com leve variação positiva de 0,06%, em dia de poucos negócios devido ao feriado da Revolução Constitucionalista no Estado de São Paulo.

“Com notícias de que a possibilidade de acordo com Grécia avança, o dólar vai perdendo o ímpeto que vinha mostrando nos últimos dias”, disse o economista-chefe do BesiBrasil, Jankiel Santos, à agência Reuters.

Na quinta-feira, a Grécia apresentou uma proposta detalhada aos credores para tentar chegar a um acordo e receber ajuda financeira. Nesta sexta-feira, o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, pediu ao parlamentares de seu partido para que apoiem o plano enviado aos credores.

Durante a tarde, o ministro das Finanças da Grécia, Euclid Tsakalotos, disse ao Parlamento que o país vai conseguir transferir os títulos públicos gregos detidos pelo Banco Central Europeu (BCE) ao Mecanismo Europeu de Estabilidade Financeira (ESM, na sigla em inglês).

A proposta e o pedido de resgate financeiro serão discutidos pelos países da zona do euro no sábado (11).

Na China, o mercado acionário teve forte alta pelo segundo dia seguido, devido a série de medidas de apoio do governo para conter a queda de mais de 30% que atingiu o mercado ao longo de quatro semanas.

Nesta sexta, a Bolsa de Xangai fechou em alta de 4,54%, após o governo chinês anunciar medidas para conter a desvalorização.

Também trouxe alívio ao mercado o discurso de Janet Yellen, presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano). A presidente disse que o órgão espera elevar a taxa de juros em algum momento deste ano, mas indicou suas preocupações de que os mercados de trabalho dos Estados Unidos continuam fracos.

A alta dos juros nos EUA é vista como negativa por investidores porque pode fazer com que os recursos que hoje estão em países emergentes, como o Brasil, sejam transferidos para lá.

Atuação do Banco Central do Brasil
Nesta manhã, o Banco Central brasileiro vendeu a oferta total no leilão de rolagem de swaps cambiais (equivalentes à venda futura de dólares). Com isso, repôs ao todo o equivalente a US$ 2,107 bilhão –por volta de 20% do lote de agosto, que corresponde a US$ 10,675 bilhões.

Os leilões de rolagem servem para adiar os vencimentos de contratos que foram vendidos no passado.

(Com informações da agência Reuters e do Jornal Folha de S.Paulo)

*Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Deixe uma resposta