Notícias

Dólar sobe mais de 1,5% e fecha perto de R$ 3,50

Na máxima do dia, o dólar chegou subir 2,16%, negociado a R$ 3,5173.

Do Mundo-Nipo com Agências

O dólar subiu mais de 1,5% sobre o real nesta terça-feira (11) e fechou perto do patamar de R$ 3,50, após a China surpreender e promover forte desvalorização do iuan para proteger a balança comercial do país.

A moeda norte-americana encerrou o dia com valorização de 1,59%, cotada a R$ 3,4978 na venda, após subir 2,16% na máxima da sessão e ser negociada a R$ 3,5173. Na véspera, o dólar recuou 1,86%, maior queda desde o dia 10 de julho.

A China desvalorizou sua moeda em quase 2%, medida que classificou como reforma para liberalizar os mercados. Números fracos sobre a segunda maior economia do mundo e o tombo da bolsa do país têm gerado preocupação com o crescimento chinês e o iuan mais fraco pode servir de estímulo à atividade, incentivando exportações.

“A decisão da China é uma forma de proteger a balança comercial do país, mas isso mostra que a economia não está bem e uma crise na China afeta o mercado global”, disse à agência de notícias Reuters o superintendente regional de câmbio da SLW, João Paulo De Gracia Correa.

O movimento de alta nesta sessão foi, em parte, segurado pelo alívio em relação à grave crise política no Brasil, que vem impulsionando a moeda norte-americana nas últimas semanas.

Na terça-feira, o mercado de câmbio também havia mostrado alívio diante da maior atuação do Banco Central, para evitar altas maiores da moeda norte-americana ao ampliar a rolagem dos swaps que vencem em setembro.

Nesta manhã, o BC deu continuidade à estratégia ao vender a oferta total de até 11 mil contratos, que equivalem a venda futura de dólares. Ao todo, já rolou US$ 2,767 bilhões, ou cerca de 28% do total que vence no mês que vem e, se continuar neste ritmo, vai recolocar o todo o lote.

(Com informações da agência Reuters)

*Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Deixe uma resposta