Notícias

Sobreviventes de bombas atômicas no Japão marcham pela paz na Noruega

Foto: Reprodução / NHK

A marcha foi realizada após a cerimônia de entrega do Prêmio Nobel da Paz, em Oslo.

Sobreviventes das bombas atômicas lançadas em 1945 em Hiroshima e Nagasaki, únicas cidades do mundo a sofrer ataques com bombas atômicas, participaram de uma marcha no centro da cidade de Oslo, na Noruega, informou nesta segunda-feira (11) a emissora pública japonesa ‘NHK’.

A marcha foi realizada no domingo (10), após a cerimônia de entrega do Prêmio Nobel da Paz, em Oslo. O grupo japonês carregava uma tocha simbolizando a “paz”.

Os participantes entoavam, em coro, “Yes, I can “, imitando a pronúncia em inglês da organização ICAN, Campanha Internacional pela Abolição de Armas Nucleares, que foi laureada este ano com o Prêmio Nobel da Paz.

Saiba mais
» Hiroshima celebra com ‘luz de velas’ Prêmio Nobel da Paz da Ican
» Campanha antinuclear ganha Prêmio Nobel da Paz 2017

Após percorrer centenas de metros, o grupo chegou a uma praça da cidade. Os participantes então aplaudiram e saudaram a diretora executiva da Ican, Beatrice Fihn, além da ativista e sobrevivente da bomba atômica Setsuko Thurlow, que apareceram no terraço de um hotel, conforme noticiou a ‘NHK’.

Depoimento de sobrevivente marca entrega de Prêmio Nobel da Paz
A cerimônia de entrega do Prêmio Nobel da Paz à ‘Ican’ no domingo foi marcada pelo depoimento de Setsuko Thurlow, que tinha 13 anos quando a bomba atômica atingiu Hiroshima, no oeste do Japão.

De acordo com uma publicação do jornal ‘Estadão’, Thurlow comparou sua luta para sobreviver em 1945 com os objetivos do grupo premiado com o Nobel.

Ela contou que a explosão em Hiroshima a deixou enterrada sob os escombros, mas que ela foi capaz de ver a luz e rastejar para um local seguro.

A descrição foi feita após a entrega do prêmio, em analogia à campanha da qual Thurlow participa hoje, que busca efetivar um tratado internacional para proibir armas nucleares.

“Nossa luz agora é o tratado de proibição”, disse Thurlow. “Repito as palavras que ouvi nas ruínas de Hiroshima: não desista. Continue tentando. Vê a luz? Continue se arrastando na direção dela”, afirmou, de acordo com o ‘Estadão’.

Do Mundo-Nipo
Fontes: NHK World News | Estadão