Notícias

Dólar fecha estável em dia tenso com morte de candidato a presidência do Brasil

Os investidores analisavam como a saída de Campos da disputa vai mudar a corrida eleitoral.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Do Mundo-Nipo com Agências

O dólar fechou estável ante o real nesta quarta-feira (13), em um dia que o mercado avaliavam as implicações da morte do candidato Eduardo Campos (PSB) na disputa pela Presidência do Brasil.

O dólar comercial encerrou o dia com leve valorização de 0,01%, cotado a R$ 2,2787 para venda. Segundo dados da BM&F, o movimento financeiro ficou em torno de US$ 1,1 bilhão.

Na semana, a moeda dos EUA acumula queda de 0,36% e no ano, de 3,34%. No mês, no entanto, há alta de 0,39%.

O dólar teve um dia bastante instável, após a morte do candidato do PSB à Presidência, Eduardo Campos, de 49 anos. Ele morreu em um acidente de avião em Santos (72 km de São Paulo), por volta das 10h desta quarta-feira. Os investidores analisavam como a saída de Campos da disputa vai mudar a corrida eleitoral.

Segundo as últimas pesquisas, Campos tinha cerca de 10% das intenções de voto nas eleições de outubro, atrás da presidente Dilma Rousseff e do candidato do PSDB, Aécio Neves.

A coligação comandada pelo PSB terá dez dias para pedir à Justiça Eleitoral o registro de um novo nome para concorrer à Presidência. Os investidores se perguntam se a candidata à vice na chapa do PSB, a ex-senadora Marina Silva, pode assumir o lugar de Campos.

Questões eleitorais têm influenciado os mercados financeiros brasileiros, em momento em que investidores demonstram desconfiança sobre a condução da política econômica do governo de Dilma, de acordo com a agência de notícias Reuters.

A queda do dólar nesta quarta também refletia dúvidas sobre o ímpeto da economia dos Estados Unidos após o resultado fraco das vendas no varejo no mês passado, menores preocupações geopolíticas com a Ucrânia e com o Iraque. Além disso, ajudava a constante atuação do Banco Central brasileiro no câmbio.

As vendas no varejo nos EUA ficaram inesperadamente estáveis em julho, sugerindo que o crescimento econômico norte-americano no terceiro trimestre provavelmente diminuirá o ritmo após a forte expansão no segundo trimestre.

Analistas acreditam que o dado fraco sugere que o Fed (banco central dos EUA) pode adiar um pouco o aumento dos juros para ter certeza de que a economia norte-americana está se recuperando com mais força

As intervenções do Banco Central no mercado de câmbio também influenciaram o resultado do dólar.

Pela manhã, o BC deu continuidade à intervenções diárias ao vender a oferta total de até 4 mil swaps cambiais, que equivalem a venda futura de dólares, com volume correspondente a US$ 199,0 milhões. Todos os swaps vendidos vencem em 2 de fevereiro de 2015. Também foram ofertados contratos para 1º de junho, mas nenhum foi vendido.

O BC também vendeu a oferta integral de até 10 mil swaps para rolagem dos contratos que vencem em setembro, no terceiro leilão ofertando mais papéis. Ao todo, o BC já rolou cerca de 35% do lote total, que corresponde a US$ 10,070 bilhões.

As informações das cotações de fechamento são fornecidas pelo Portal Financeiro Investing.com Brasil.

 


Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta