Notícias

Veja como e onde ocorreram os protestos de domingo no Brasil

A manifestação de domingo (13) é apontada pela mídia nacional como o maior ato político da história do Brasil.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A manifestação ocorrida ontem (13), que é apontada pela mídia nacional como o maior ato político da história do Brasil, levou mais de 6,8 milhões de pessoas às ruas em 326 cidades brasileiras, segundo os organizadores.

De Norte a Sul do Brasil, o povo vestiu as cores verde e amarelo em protesto contra a presidente Dilma, o PT, o ex-presidente Lula e, principalmente, contra a corrupção. O clima foi pacífico e, a todo instante, o hino nacional era entoado por milhões de vozes.

Os manifestantes saíram às ruas em 326 cidades, em todos os estados e no Distrito Federal. Segundo os organizadores, foram 6,8 milhões de pessoas, número que difere dos 3,6 milhões que foram reportados pelos polícias militares. De acordo com o jornal ‘Bom Dia Brasil’, da Rede Globo, esses número não está incluído o Rio de Janeiro, porque a PM do Rio não divulgou números.

Entretanto, por qualquer um desses dois levantamentos, o número supera os protestos ocorridos em março do ano passado, quando foram 3 milhões nas ruas, segundo os organizadores. E 2,4 milhões, segundo a Polícia Militar. Até então, estes números representavam a maior manifestação já registrada no Brasil.

De acordo com os repórteres do ‘Bom Dia Brasil’, que acompanharam os protestos em todas as regiões do país, as manifestações aumentaram a pressão pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff. O juiz federal Sérgio Moro foi saudado como herói e os manifestantes deram apoio às investigações da Operação Lava Jato.

Manifestantes de todas as idades participaram dos protestos. “Os jovens não querem um futuro onde a gente não tenha oportunidade de emprego, a gente quer estudar para a gente poder trabalhar, construir nossa família e viver em um país mais justo”, disse a estudante Maria Eduarda Silveira a um dos repórteres da ‘Globo’.

Veja, a seguir, como ocorreu as manifestação em Brasília
No movimento em Brasília começou logo pela manhã, onde, mais uma vez, manifestantes levaram o Pixuleco, boneco gigante do ex-presidente Lula vestido de presidiário.

Além do apoio ao juiz Sérgio Moro, os manifestantes pediram a saída dos presidentes da Câmara, Eduardo Cunha e do Senado, Renan Calheiros, ambos do PMDB. Algumas pessoas se juntaram para formar a frase: “Fora Dilma”.

Segundo a Polícia Militar, o número de manifestantes em Brasília chegou a 100 mil enquanto os organizadores divulgaram o dobro, cerca de 200 mil pessoas. De qualquer modo, isso significa que esse foi o maior protesto em Brasília desde o início do segundo mandato da presidente Dilma.

Goiânia
Em Goiânia, a concentração foi na Praça Tamandaré, perto da região central da capital de Goiás, e como nas manifestações anteriores, foi o ponto de partida para uma caminhada de 5 km. A PM acompanhou tudo de longe, estimou em 60 mil o número de manifestantes. Os organizadores disseram que foram 100 mil pessoas nas ruas da capital de Goiás. A manifestação na cidade terminou em frente à sede da Superintendência da Polícia Federal.

Natal
Na capital do Rio Grande do Norte, a manifestação contou com oito mil pessoas. Os números são da Polícia Militar.

Campo Grande
Os protestos ocorridos na capital do estado de Mato Grosso do Sul representaram a maior manifestação desde o início dos protestos pedindo a saída da presidente Dilma. Pelos cálculos dos organizadores, foram 110 mil pessoas, enquanto a PM reportou 100 mil.

Porto Alegre
Em Porto Alegre, os manifestantes voltaram ao local já tradicional de protestos contra a presidente Dilma, o PT e o ex-presidente Lula. Entre um discurso e outro eram tocadas músicas pedindo o impeachment da presidente e o fim da corrupção. Cantos de torcida de futebol também foram adaptados com letras de protesto. Foram 140 mil pessoas nas ruas, segundo os organizadores, e 100 mil, de acordo com a PM.

Curitiba
Na capital do estado do Paraná e também da Lava Jato, vários manifestantes usaram máscara do juiz Sérgio Moro tanto. Quando os carros de som dos organizadores chegaram à Boca Maldita, ela já estava completamente tomada, como também estavam lotadas todas as ruas que dão acesso a região, no centro de Curitiba, onde os protestos eram centrados contra a presidente Dilma Rousseff, contra o ex-presidente Lula, além de pedidos de impeachment. Tantos os organizadores quanto a PM calculam que 200 mil pessoas foram para as ruas.

Florianópolis
As ruas da capital Santa Catarina foram tomadas por 100 mil pessoas, pelas contas dos organizadores – 95 mil, pelos cálculos da PM. Houve inda protestos em diversos municípios, como Xanxerê. Lages, São Miguel do Oeste e Fraiburgo. Em Chapecó, a manifestação aconteceu no sábado.

Salvador
A concentração em Salvador, mais uma vez, foi no Farol da Barra. Milhares de baianos saíram às ruas para pedir o impeachment da presidente Dilma Rousseff, protestar contra os escândalos de corrupção e também para manifestar apoio ao juiz Sérgio Moro. O número de manifestantes chegou 50 mil, segundo os organizadores, e 20 mil, de acordo com a PM.

Recife
O protesto n capital de Pernambuco se intensificou no bairro litorâneo de Boa Viagem. Manifestantes pediram a prisão do ex-presidente Lula e o impeachment da presidente Dilma. Eram 100 mil segundo os organizadores; 120 mil segundo a PM.

Maceió
Na capital do estado de Alagoas, os manifestantes levaram uma cobra gigante com a cara do ex-presidente Lula. Era uma referência às declarações de Lula, de que a jararaca estava viva, logo depois de ter sido levado para prestar depoimento na Lava Jato. Segundo os organizadores, eram 35 mil pessoas. A PM contou 25 mil.

Fortaleza
Na capital do cearense, os manifestantes se reuniram na Praia de Iracema. Motoqueiros também participaram do movimento. Ao todo, foram 100 mil pessoas, pelas contas dos organizadores e 35 mil, segundo a polícia.

Belém
Cerca de 50 mil pessoas protestaram na capital do Pará. A PM não divulgou o número. Em uma carreta foram colocadas fotos gigantes de alguns dos investigados da Operação Lava Jato atrás das grades, Os manifestantes também cantaram o hino nacional, pediram o fim da corrupção e o impeachment da presidente Dilma Rousseff durante toda a caminhada, que foi pacífica.

Belo Horizonte
A concentração principal da manifestação foi na Praça da Liberdade, na região centro sul da capital de Minas Gerais. Os manifestantes cantaram o Hino Nacional e apoiou o juiz Sérgio Moro, com camisas, broches, bonés e até com máscaras do juiz.

Eram 100 mil manifestantes, segundo os organizadores, e 30 mil, de acordo com a polícia. Há um ano, tanto a PM quanto os organizadores contaram 25 mil pessoas.

Vitória
Os manifestantes também lotaram as ruas da capital de Espírito Santo. Foram 200 mil pessoas, segundo os organizadores, e 120 mil, pelos cálculos da PM.

Rio de Janeiro
No Rio de Janeiro, os manifestantes percorreram cerca de 2,5 quilômetros da orla de Copacabana. Segundo os organizadores, o protestou reuniu 1 milhão de pessoas. A Polícia Militar não divulgou estimativas de participantes.

De qualquer forma, foi o maior protesto na capital carioca até agora. Em março do ano passado, a maior manifestação reuniu 100 mil pessoas, segundo os organizadores. Na época, a PM também não fez estimativas.

Teve protesto na água e nas varandas. A criatividade deu origem ao ‘MoroBloco’, em homenagem ao juiz Sérgio Moro. Durante a passeata, um avião da Frente Brasil Popular, que defende a presidente Dilma, sobrevoou a manifestação. O clima foi pacífico. As pessoas gritavam palavras de ordem contra a presidente Dilma e contra a corrupção.

São Paulo
Imagens de várias emissoras mostraram uma Avenida Paulista completamente lotada pela multidão – de cima não se via o asfalto. Do chão, também não dava para ver até onde ia a manifestação. Em uma das pontas da Avenida Paulista, próxima da Avenida da Consolação, as pessoas chegavam em grande quantidade após uma hora e meia do início do protesto.

Além do pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff, os manifestantes clamavam, principalmente, pelo fim da corrupção na política no Brasil. O paulistano pintou a avenida com as cores da bandeira brasileira.

A Polícia Militar calculou em 1,4 milhão pessoas na Avenida Paulista. Os organizadores, em 2,5 milhões. Na contagem do Datafolha: 500 mil. De acordo com o instituto, o ato superou as ‘Diretas Já’ e foi a maior manifestação política já medida pelo Datafolha.

Manifestações em outras cidades
Fora das capitais, também houve grandes manifestações. Em Uberlândia, Minas Gerais, eram 25 mil pessoas, segundo os organizadores, e 22 mil, segundo a PM.

Em Ribeirão Preto, pessoas representando o ex-presidente Lula e os ex-ministros Antônio Palocci e José Dirceu foram colocadas dentro de uma cela. Segundo os organizadores, eram 60 mil pessoas. A Polícia Militar contou 70 mil.

Em Campinas, manifestantes defenderam o trabalho da Justiça, da Polícia Federal e também a liberdade de imprensa. Cem mil pessoas, segundo os organizadores, participaram do protesto em Campinas. A Polícia Militar disse que foram 10 mil.

Em Guarujá, no litoral paulista, a manifestação foi em frente ao prédio onde fica o triplex que é investigado na Lava Jato. Segundo os organizadores, eram 5 mil participantes; 2,6 mil, para a PM.

Na cidade de Niterói, no Rio de Janeiro, a manifestação se concentrou no Bairro de Icaraí, mis precisamente na rua em frente a praia, na Avenida Jornalista Alberto Francisco Torres. Vestidos de verde e amarelo e munidos com faixas e cartazes, os participantes cantaram fervorosamente o Hino Nacional e o Hino da Bandeira em demonstração de amor à pátria.

Manifestação em Niterói (Foto: Reprodução/jornal O Fluminense)

Manifestação em Icaraí, Niterói – RJ, contou com cerca de 10 mil pessoas (Foto: Reprodução/jornal O Fluminense)

Muitas crianças e idosos acompanharam o protesto que começou na reitoria da Universidade Federal Fluminense (UFF), na Rua Miguel de Frias, e terminou no último quarteirão da Avenida Jornalista Alberto Francisco Torres. Segundo estimativa preliminar da PM, cerca de dez mil pessoas participaram do ato, de acordo com o jornal online ‘O Fluminense’.

Fontes: Bom Dia Brasil | O Fluminense | Estadão.

Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta