Notícias

Japão abrirá 100 centros de apoio a trabalhadores estrangeiros

©Japan Times

O governo japonês vai repassar US$ 7,6 milhões para que prefeituras locais abram centros de apoio em todo o Japão.

O governo japonês anunciou que planeja abrir cerca de 100 centros de apoio aos trabalhadores estrangeiros e todo o Japão, anunciou o ministro chefe do Gabinete japonês, Yoshihide Suga, segundo a emissora pública ‘NHK’.

Em entrevista no domingo (16) na cidade de Fukuoka, Suga afirmou que espera ver os centros de apoio em todas as províncias e principais cidades, onde reside grande número de trabalhadores estrangeiros. Ele declarou que cada centro contará com intérpretes ou sistemas de tradução.

Suga disse ainda que o governo vai repassar US$ 7,6 milhões para que os governos locais abram os centros. Segundo ele, o governo pretende fazer com que empresas assumam a responsabilidade por designar fiadores para o contrato de locação de imóveis dos trabalhadores.

O governo também vai garantir que trabalhadores estrangeiros, uma vez atuando no amplo mercado de trabalho japonês, sejam capazes de assinar contratos de planos de telefonia móvel, utilizando seus cartões de residente.

Há ainda planos para facilitar a abertura de conta bancária e garantir o acesso a cuidados médicos para estrangeiros, fazendo com que serviços de tradução estejam amplamente disponíveis.

Nova lei japonesa de Imigração
A criação de centros de apoios faz parte de um pacote de medidas que o Governo está adotando para suprir a tétrica e crescente escassez de mão de obra no país. Entre as recentemente adotadas está uma nova lei voltada a facilitar a entrada de trabalhadores estrangeiros com baixa qualificação.

A nova legislação passa a valer em abril de 2019 e cria duas novas categorias de vistos de trabalho. A primeira delas é voltada a funcionários de baixa qualificação e permitirá a eles viverem por até cinco anos no Japão, mas sem a possibilidade de levar os familiares.

Saiba mais
» Japão aprova lei que abre entrada a estrangeiros com baixa qualificação
» Empresas no Japão querem mais trabalhadores estrangeiros
» Falta de mão de obra cria oportunidades de trabalho para mães no Japão

A segunda é voltada para pessoas com maior escolaridade, que poderão levar seus parentes, além de ter o caminho facilitado para prorrogar sua permanência enquanto tiverem um emprego.

O Japão é bastante restritivo à entrada de imigrantes. Pelas regras atuais, são aceitos apenas estrangeiros com alta escolaridade, como professores e doutores, ou descendentes de japoneses, mas estes precisam atender a uma série de exigências para trabalhar no país.

Mundo-Nipo
Fontes: Agência Brasil | NHK News.