Notícias

Bolsa de Tóquio recua após BC do Japão reduzir previsão de inflação

A redução levantou dúvidas sobre a recuperação econômica do Japão.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Do Mundo-Nipo com Agências

A Bolsa de Valores de Tóquio fechou em leve queda nesta quarta-feira (21), refletindo preocupações sobre a recuperação econômica do país após a notícia de que o Banco do Japão (BoJ, o banco central japonês) reduziu sua previsão de inflação.

O Nikkei 225, índice que reúne as empresas mais negociadas da bolsa japonesa, recuou 85,82 pontos, baixa de 0,49% ante o fechamento anterior, encerrando aos 17.280,48 pontos, após subir mais de 2% no pregão anterior e registrar seu melhor resultado desde 05 de janeiro. Já o Topix, indicador que agrupa os valores da primeira seção em Tóquio, caiu 7,02 pontos, queda de 0,50% em relação à terça-feira, terminando as negociações de hoje aos 1.390,61 pontos.

O volume das negociações foi um pouco melhor, totalizando 2.187,30 milhões de ações negociadas. Na sessão anterior, o volume das transações somou 2.134,83 milhões de ações.

A bolsa japonesa operava em baixa desde o início das negociações, mas ampliou o movimento de perdas após o anúncio do BC japonês. O BoJ reduziu suas projeções para aumentos de preços no atual ano fiscal, que encera março, para 0,9% ante uma estimativa anterior de 1,2%. Para o próximo ano fiscal, que começa em abril, o crescimento da inflação foi estimado em 1,0% ante 1,7% projetados anteriormente, em meio a queda do petróleo, que reduz os preços da energia, e um fraco consumo doméstico que persiste desde o aumento do imposto sobre as vendas em abril passado.

“Após os preços do petróleo caírem tanto, o BoJ realmente não teve escolha e foi obrigado a reduzir sua perspectiva para um nível mais realista”, comentou Kazuyuki Terao, diretor da Allianz Global Investors.

O BC japonês manteve inalterado o montante anual de compra de ativos em 80 trilhões de ienes, como esperado por muitos economistas. A autoridade monetária também anunciou que vai oferecer empréstimos a juros baixos com o objetivo de incentivar instituições financeiras a expandir o crédito.

O dólar reagiu em baixa ante o iene após a decisão do BoJ, pressionando as exportadoras na bolsa japonesa. As ações de grandes empresas de tecnologia foram as que apresentaram maiores perdas, influenciadas pela fraqueza da moeda norte-americana e por resultados trimestrais decepcionantes da IBM e da Advanced Micro Devices (AMD) nos EUA.

Entre as fabricantes de eletrônicos que se destacaram nas perdas, a Panasonic recuou 2,7%, a Toshiba fechou em baixa de 2,3% e a Hitachi recuou 0,4%. Já a Sharp caiu 2,6% depois que a fabricante de eletrônicos informou que vai cortar a produção de telas para smartphones em cerca de 40% em meio a uma crescente fraqueza das vendas na China.

A Fuji Heavy Industries, fabricante dos automóveis Subaru, liderou as perdas entre as montadoras, com recuo 1,9%.

Por outro lado, a Sony saltou 5,5% após notícias de que a empresa vai começar um programa de aposentadoria antecipada com o objetivo de diminuir seu quadro de funcionários no Japão em 1.500 pessoas até o fim do atual ano financeiro.

Enquanto isso, ações de fabricantes de produtos de borracha e de companhias aéreas se beneficiaram com os preços do petróleo mais baixos. A Bridgestone subiu 1,9% e a Japan Airlines também avançou 1,9%.

(Com informações das Agências Estado e Kyodo)

*Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta