Notícias

Dólar tem quarta queda seguida ante o real e fecha no menor nível em 4 meses

A moeda norte-americana desceu ao patamar de R$2,29, o pior nível de fechamento desde novembro.

Do Mundo-Nipo

O dólar fechou em queda nesta terça-feira (25), pela quarta sessão consecutiva, no menor nível em quatro meses, contrariando a expectativa de que a moeda fosse subir após a agência de classificação de risco Standard & Poor’s (S&P) ter cortado a nota de crédito do Brasil na véspera.

O dólar comercial encerrou o dia com desvalorização 0,7%, cotado a R$ 2,3062 para a venda. É o menor valor de fechamento desde 11 de novembro, quando a moeda norte-americana encerrou o dia a R$ 2,2957. Na segunda-feira (24), o dólar teve leve queda 0,17%.

O giro financeiro ficou em torno de US$ 1,5 bilhão, contra cerca de US$ 1 bilhão na véspera, de acordo com dados da BM&F.

Segundo investidores, o rebaixamento da nota do país já era esperado e, por isso, já havia sido precificado. Entretanto, segundo destacou a Agência Reuters, a aceleração na queda ocorreu em reação a movimentos técnicos de correção no mercado doméstico e refletia a depreciação da divisa norte-americana no exterior após dados econômicos mais fortes do que o esperado sobre os Estados Unidos.

Após o fechamento dos mercados na véspera, a S&P cortou a classificação de crédito brasileira em um degrau, para “BBB-“, faixa mais baixa da categoria grau de investimento e com perspectiva estável, citando a deterioração das contas públicas do país.

Segundo analistas, a manutenção do grau de investimento também sugere que o recente quadro de ingresso de divisas no país não deve mudar, destacou o UOL Economia.

Apesar da reação calma dos mercados, vários analistas se mostraram céticos de que o dólar consiga se sustentar abaixo do nível de R$ 2,30. Segundo eles, cotações mais baratas poderiam desagradar o governo, pois tendem a prejudicar as exportações.

Além disso, alguns operadores acreditam que o Banco Central não deve rolar todos os swaps cambiais, equivalentes a venda futura de dólares, que vencem na terça-feira que vem, o que deve impedir quedas mais expressivas.

Nesta manhã, o BC deu continuidade às intervenções diárias vendendo a oferta total de 4 mil swaps cambiais (equivalentes a venda futura de dólares), todos com vencimento em 1º de dezembro, com volume equivalente a US$ 198 milhões. A autoridade monetária também ofertou contratos para 1º de outubro, mas não vendeu nenhum.

O Banco Central também vendeu a oferta total de 10 mil swaps em leilão para rolar os contratos com vencimentos em 1º de abril. No total, o BC já rolou o equivalente a US$ 5,909 bilhões, ou pouco menos de 60% do lote total que vence no próximo mês, correspondente a US$ 10,148 bilhões.

As informações das cotações de fechamento são fornecidas pelo Portal Financeiro Forex Pros/Investing.com.

 


Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Deixe uma resposta