Notícias

Vendas no varejo do Japão tem queda maior que o esperado em novembro

Reprodução/Kyodo

Os consumidores fecharam a carteira após o aumento do imposto sobre vendas, aumentando os temores de um recuo ainda maior nos próximos meses.

As vendas no varejo japonês em novembro cresceram no ritmo mais forte que o estimado, uma vez que os japoneses fecharam a carteira após o aumento dos impostos sobre vendas em outubro, aumentando os temores de que os gastos do consumidor podem recuar ainda mais nos próximos meses.

O aumento do imposto nacional sobre as vendas, de 8% para 10% em 1 de outubro, é visto como crucial para fixar a dívida pública mais pesada do mundo industrial com mais do dobro do tamanho da economia japonesa.

As vendas no varejo em novembro recuaram 2,1% em relação ao ano anterior, de acordo com o relatório preliminar do Ministério de Economia, Comércio e Indústria do Japão divulgado na sexta-feira.

As leituras fracas, tanto da produção industrial, que caiu 0,9% em novembro ante o mês anterior, como nas vendas no varejo, podem pressionar o governo a criar novas medidas para impulsionar o crescimento e forçar o Banco do Japão (BOJ, o banco central japonês)  a manter seu massivo programa de estímulo.

Sob pressão

É provável que a economia em geral permaneça sob pressão, uma vez que a fraca confiança das empresas e dos consumidores, além da lentidão no crescimento global, prejudicam a demanda.

Na semana passada, o governo cortou sua visão geral sobre a economia pela quarta vez este ano, rebaixando a avaliação da produção industrial.

Já o Banco do Japão manteve-se firme na semana passada, embora tenha alertado que os riscos para a recuperação continuam altos e oferecendo uma visão mais sombria da produção.

Mundo-Nipo.com – MN
Fontes: Nikkei Asian Review | Agência Reuters.