Notícias

Dólar cai ante real pelo 2º dia após dado fraco sobre a economia dos EUA

A moeda dos EUA caiu 0,51%, a maior baixa percentual diária em mais de três semanas.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Do Mundo-Nipo com Agências

O dólar caiu ante o real pelo segundo pregão consecutivo, refletindo o dado mais fraco que o esperado do PIB nos Estados Unidos, divulgado nesta quinta-feira (29), o que levou a uma desvalorização da divisa dos EUA frente às principais moedas emergentes.

O dólar comercial encerrou o dia com desvalorização de 0,51%, cotado a R$ 2,224 para a venda. É a maior baixa percentual diária em mais de três semanas, desde 6 de maio, quando a moeda norte-americana recuou 0,79%. Segundo dados da BM&F, o movimento financeiro ficou em torno de US$ 1,6 bilhão.

O resultado nesta sessão foi influenciado pela divulgação de dados sobre a economia norte-americana, que caiu mais que o esperado. A segunda leitura do PIB americano do primeiro trimestre mostrou um recuo de 1% em termos anualizados, uma queda maior que a esperada pelo mercado que era de 0,6%. Já o índice de vendas pendentes de casas mostrou um avanço de 0,4% em abril na comparação com março, abaixo da previsão dos analistas que esperavam uma alta de 2%.

“A atividade mais fraca poderia levar o Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) a adiar o aumento da taxa de juros, com medo do impacto do aperto sobre a recuperação econômica”, detalhou mais cedo a Agência Reuters.

Juros mais altos nos EUA tenderiam a atrair de volta à maior economia do mundo recursos atualmente aplicados em países como o Brasil, afetando o câmbio, explicou a agência.

A queda do dólar nesta sessão também foi influenciada pela expectativa de aumento na liquidez global, resultante do esperado corte nas taxas de juros do BCE. Pesquisa da Reuters mostrou que os economistas esperam que o banco central corte a taxa de juros a 0,10% e a taxa de depósitos para território negativo, em -0,10% na próxima semana.

Com isso, o dólar perdeu terreno sobre moedas como os pesos chileno e mexicano. Contra o euro, tinha leve queda, após atingir a mínima em três meses nesta semana.

No cenário interno, a volatilidade foi acentuada pela briga antes da formação da Ptax de maio, taxa calculada pelo Banco Central que serve de referência para diversos contratos cambiais. Nos últimos pregões do mês, investidores costumam disputar para empurrar a taxa a patamares mais favoráveis às suas posições cambiais.

 

Atuações do Banco Central no câmbio do dólar

Pela manhã, o Banco Central brasileiro deu continuidade às intervenções diárias, vendendo a oferta total de até 4 mil swaps cambiais, que equivalem à venda futura de dólares. Todos os contratos vendidos vencem em 2 de fevereiro de 2015 e têm volume correspondente a US$ 198,3 milhões. O BC também ofertou contratos para 1º de dezembro deste ano, mas não vendeu nenhum.

Em seguida, também vendeu a oferta total de swaps em leilão de rolagem. Até agora, foram rolados pouco menos de metade do lote total que vence no próximo mês, equivalente a US$ 9,653 bilhões.

As informações das cotações de fechamento são fornecidas pelo Portal Financeiro Forex Pros/Investing.com.

 


Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta