Notícias

Inflação no Japão continua em ritmo lento de crescimento

Reprodução/Kyodo

A estagnação do crescimento em outubro é por canta dos gastos fracos do consumidor.

O principal indicador da inflação ao consumidor no Japão subiu em outubro o mesmo percentual do mês anterior em termos anualizados, permanecendo na metade do ritmo de crescimento da meta de 2% almejada pelo Banco do Japão (BOJ, o banco central japonês,

O núcleo do Índice de Preços ao Consumidor (CPI, na sigla em inglês), que elimina os efeitos dos custos voláteis de alimentos frescos, subiu 1% em outubro na comparação com o ano anterior, repetindo assim a mesma taxa registrada em setembro e igualando a estimativa do mercado, mostraram dados divulgados pelo Ministério dos Assuntos Internos e Comunicações do Japão.

Com metade da alta devendo-se aos custos de energia, o banco central do Japão pode enfrentar dificuldades crescentes para alcançar um aumento consistente dos preços, uma vez que os atritos comerciais e a desaceleração da demanda chinesa afetam as perspectivas para a economia.

Em um sinal de que a pressão inflacionária praticamente não está aumentando, o índice que exclui o efeito dos custos tanto de alimentos frescos quanto de energia registrou inflação de 0,4% em outubro, repetindo a taxa por três meses seguidos.

“Os dados mostram que levará bastante tempo para a inflação atingir a meta do Banco do Japão”, disse Takeshi Minami, economista-chefe do Instituto de Pesquisa Norinchukin.

“O Banco do Japão não deve mudar sua postura” de manter o forte programa de estímulo, completou.

Mundo-Nipo
Fontes: Agência Reuters | Ministério dos Assuntos Internos e Comunicações do Japão.