Notícias

Vendas no varejo do Japão crescem ao maior nível desde 2014

Foto: Arquivo / Jiji

Grande alta nas vendas foram impulsionadas pelos consumidores que foram às compras um mês antes do aumento do imposto sobre o consumo.

As vendas no varejo japonês em setembro cresceram no ritmo mais forte em 5 anos, impulsionada pela correria dos consumidores que foram às compras de itens caros um mês antes do aumento no imposto sobre as vendas no país, aumentando as preocupações de que os gastos podem recuar drasticamente nos próximos meses.

O aumento do imposto nacional sobre as vendas, de 8% para 10% em 1 de outubro, é visto como crucial para fixar a dívida pública mais pesada do mundo industrial com mais do dobro do tamanho da economia japonesa.

Alguns analistas, no entanto, temem que o aumento dos impostos adiado duas vezes possa levar a terceira maior economia do mundo à recessão, ressaltando o desafio do Banco do Japão (BOJ, o banco central japonês) de sustentar o crescimento e acelerar a inflação em direção à sua meta de inflação de 2% ao ano.

Divulgados na última quarta-feira, os dados estão entre os principais indicadores a serem examinados pelo Banco do Japão, que realiza sua revisão de política de dois dias, quando emite suas projeções trimestrais de economia e preços.

O BOJ pode adiar a política de afrouxamento em sua revisão, uma vez que mercados estáveis, uma trégua nas negociações comerciais EUA-China e uma demanda doméstica robusta dão espaço para economizar sua munição limitada.

As vendas no varejo em setembro saltaram 9,1% em relação ao ano anterior, impulsionadas por um aumento de 16,9% nas vendas de carros e de bens duráveis ​​para uso doméstico, como geladeiras, computadores e TV e cosméticos, alimentos e roupas, mostrou o relatório preliminar do Ministério de Economia, Comércio e Indústria do Japão.

VEJA TAMBÉM

O aumento nos gastos antes do aumento do imposto sobre vendas é um mau presságio para o consumo privado no quarto trimestre, dizem alguns analistas, embora possa ajudar a impulsionar o crescimento econômico no último trimestre.

“Os dados sugerem que o consumo privado pode ter aumentado 1,5% em relação ao trimestre anterior no terceiro trimestre”, disse Marcel Thieliant, economista sênior da Capital Economics no Japão.

“Os riscos de nossa previsão de uma queda de 1,7% no consumo trimestral no quarto trimestre provavelmente estão inclinados para o lado negativo.”

A leitura das vendas no varejo superou com folga um ganho de 6,9% esperado pelos economistas em uma pesquisa da Agência Reuters, registrando o maior crescimento anual desde março de 2014, quando as vendas no varejo aumentaram 11% um mês antes da alta fiscal anterior.

As vendas no varejo com ajuste sazonal cresceram 7,1% em setembro, segundo os dados.

Avaliação

O Ministério do Comércio levantou sua avaliação das vendas no varejo para descrevê-la como “crescente”.

Mas acrescentou que deve permanecer atento ao sentimento do consumidor após o aumento dos impostos e monitorar quaisquer efeitos que uma série recente de desastres naturais possa ter sobre a economia.

Queda no consumo privado

O aumento de impostos anterior, de 5% para 8%, provocou uma profunda queda no consumo privado e a economia em geral, com uma grande retração na demanda, após a compra de última hora pelos consumidores antes da alta.

Os formuladores de políticas sustentam que esse grande aumento na demanda não ocorreu desta vez, dada a menor extensão do aumento de impostos e várias medidas governamentais para aliviar a carga de custos mais altos.

Da Agência Reuters / Tradução e Edição do Mundo-Nipo.com (MN).

👉 Notícia atualizada em 01/11/2019.