Curiosidades

Após ser assaltado no sul, homem caminha 1400 km para retornar ao nordeste do Japão

O rapaz caminhou desde a província de Fukuoka até a província de Miyagi. Disse que preferiu andar (por 11 dias), do sul ao nordeste japonês, porque não queira “incomodar ninguém”.

Do Mundo-Nipo

A mãe de um homem, de 25 anos, ficou surpresa ao vê-lo chegar em casa após desaparecido por 11 dias. Quando ela o viu pela última vez, em 23 de agosto, ele havia deixado sua cidade natal em Sendai, na província de Miyagi, nordeste japonês, para participar de uma competição nacional de “trading card” em Kitakyushu, na província de Fukuoka, localizada na região nordeste do Japão.

 

Mapa com percurso de Fukuoka a Sendai (Imagem: Reprodução)

O rapaz caminhou desde a província de Fukuoka até a província de Miyagi. Disse que preferiu caminhar (por 11 dias,) do sul ao nordeste japonês, porque não queira “incomodar ninguém”. (Imagem: Reprodução)

 

A mãe ficou preocupada desde que o filho não pegou o voo de regresso, marcado para o dia 25 de agosto. Descobriu-se, então, que o rapaz havia sido assaltado em Kitakyushu, teve a sua carteira e celular levados, e passou os 11 dias seguintes viajando de volta a Sendai, percorrendo 1400 km a “pé”. Após seu retorno, o filho disse: “Eu não queria fazer alarde. Sinto muito a todos que eu incomodei”.

O rapaz relatou que após o término do jogo, ficou muito tarde para pegar o voo de volta para Sendai. Sem outro meio para retornar, então resolveu andar pelas ruas até encontrar um “cyber café” para passar a noite. Enquanto estava procurando, ele foi abordado por homem que “exigiu seu celular e carteira”. Ele obedeceu e o assaltante fugiu com os itens. Felizmente, o rapaz tinha mantido um extra de 2 mil ienes escondidos em seu sapato.

Neste ponto, a maioria das pessoas iria à polícia ou talvez usar o dinheiro para telefonar e pedir ajuda aos familiares. Este homem, no entanto, não fez nada que é suposto uma pessoa normal fazer. Ele, então, se pôs a caminhar de volta para sua casa, sozinho e a pé.

“Eu usei o dinheiro que tinha escondido no meu sapato, e comprei pão e água para combater a fome durante a viagem”, disse o cidadão japonês.

Onze dias e 1.400 km depois, o filho chegou à porta de casa para ser recebido por uma mãe aflita e atordoada no dia 5 de setembro. Seu primeiro pensamento ao ver o filho desaparecido foi: “Fiquei chocada e pensei ter visto um fantasma”.

“Estou realmente emocionada por ele ter retornado. Sinto muito por todos que estavam preocupados”, conclui a mãe, aliviada após o retorno do filho desaparecido.

O caso foi manchete nos jornais japoneses e ganhou destaque em redes sociais. A maioria dos internautas indagava o motivo que levou o rapaz a preferir perambular por 1.400 km, passando necessidades como fome, sede e todos os tipos de privações durante 11 dias, ao invés de pedir ajuda.

“Por que diabos ele não contatou ninguém? Nós só podemos supor que ele realmente não queria incomodar (incluindo os policiais que são pagos para ser incomodado em tais casos), ou talvez ele estivesse fazendo algo que não queria que a polícia ou a família soubesse”, comentou um internauta, de acordo com o jornal Yomiuri.

De qualquer forma, ele está em casa e sua mãe está feliz. Ele também está muito contente, pois disse que durante todo o assalto e viagem, conseguiu trazer um “card” muito importante para a sua coleção, demonstrando, no final de tudo, que o “card” era a coisa mais importante para ele.

As informações são do Yomiuri Shimbun.

 


Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Deixe um comentário