Notícias

Vendedores do Brasil e do Japão são os piores no ranking de simpatia

Brasil e Japão ficaram em penúltimo e último lugar no estudo que avalia a qualidade do atendimento ao cliente em países do mundo todo.

Do Mundo-Nipo

Os vendedores brasileiros e japoneses ocupam a penúltima e última posição, respectivamente, em uma pesquisa que avaliou a qualidade do atendimento ao cliente em países do mundo todo. Os profissionais do setor no Brasil são “carrancudos”, enquanto os vendedores no Japão são “sérios” ou “frios”, conclui o índice que avalia a quantidade de atendimentos iniciados com um sorriso.

O estudo foi realizado pela companhia sueca Better Business World Wide, em parceria com a brasileira Shopper Experience, e analisou o atendimento em 69 países. Após compilar os dados, a companhia elaborou o ranking com 16 posições. A pesquisa foi realizada em 2014 e divulgada em agosto deste ano.

De todos os atendimentos avaliados no Brasil, 79% começaram com um sorriso do vendedor, enquanto o índice no Japão cai para 74%. Esses números estão bem longe do alcançado pelos irlandeses, que lideram a lista com 97% de atendimentos sorridentes. De toda a lista, os brasileiros ficaram em 15º lugar, à frente apenas do Japão, 16º colocado, ou seja, ambos os países foram classificados os piores do ranking.

Para avaliar o atendimento, a pesquisa usou clientes secretos, ou seja, clientes que entram no estabelecimento também com o objetivo de avaliar os vendedores.

Além da simpatia, a pesquisa avaliou o índice de vendas adicionais conquistadas pelos vendedores. E mais uma vez Brasil e Japão ficaram na lanterna. Enquanto a média dos países foi de 52% de vendas adicionais, no Brasil o número ficou em 37%, à frente apenas do Japão, com 31%. O campeão neste quesito foi Honduras, onde 97% dos atendimentos geraram compras adicionais.

Fonte: Revista Exame.

Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Comentários

Deixe uma resposta