Notícias

Japão decide munir com armas suas tropas no exterior

Militares japoneses e americanos em exercício conjunto. Alguns armados com o fuzil Howa Type 89, padrão das forças armadas (Foto: Creative Commons)

Tropas japonesas poderão fazer uso de armas em operações de resgate no Sudão do Sul.

O Japão decidiu permitir que suas tropas militares de manutenção da paz no Sudão do Sul façam uso limitado de armas em operações de resgate. A decisão, que foi tomada na terça-feira (14) em uma reunião do gabinete japonês, gerou protestos nesta quarta-feira (15) em frente ao prédio do governo do primeiro-ministro Shinzo Abe, em Tóquio, informou a emissora pública ‘NHK’.

Cerca de 350 pessoas se manifestaram contra a decisão de permitir que a unidade das Forças de Autodefesa do Japão faça uso limitado de armas em operações de resgate. As tropas irá se juntar às operações de manutenção da paz das Nações Unidas no Sudão do Sul, detalha a ‘NHK’.

Segundo os manifestantes, as tarefas violam o artigo 9 da Constituição pacifista do país, que o Japão adotou a pedido da ocupação norte-americana após sua derrota na Segunda Guerra Mundial, e que só permitia ao país usar a força para se defender apenas em seu próprio território.

Neste mês, o governo vai enviar uma unidade de engenharia da Força Terrestre de Autodefesa ao país africano. Ela vai substituir uma unidade das Forças de Autodefesa que participa das operações das Nações Unidas.

Ainda de acordo com a ‘NHK’, o governo concluiu que a situação no Sudão do Sul preenche seus requisitos para o envio de tropas de manutenção da paz. Também acredita que pode continuar recebendo permissão do governo sudanês para manter a unidade das Forças de Autodefesa por toda a extensão de sua missão.

A nova legislação japonesa de segurança, ou reforma militar, entrou em vigor no início deste ano. Ela permite que as tropas japonesas no exterior façam uso de armas em casos limitados, o que Inclui o resgate de pessoal da ONU que esteja sob ataque.

Anteriormente, o Conselho Nacional de Segurança do Japão havia concordado que a unidade poderia se juntar a outros países para defender a base das tropas de manutenção da paz, caso ela seja atacada.

O envio da nova unidade terá início no próximo domingo. Ela vai passar a trabalhar na capital do Sudão do Sul, Juba, e em seus arredores, em meados do próximo mês.

Comentários