Notícias

EUA e Japão concordam em elevar a pressão sobre a Coreia do Norte

Foto: Shutterstock

Em conversa hoje por telefone, Trump aproveitou para felicitar Abe pela reeleição.

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, e o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, concordaram nesta segunda-feira (23) em ampliar o nível da pressão sobre a Coreia do Norte, no que afirmam ser uma tentativa de acabar com as ameaças de Pyongyang com seu desenvolvimento armamentístico que tem como base um temido programa nuclear.

Abe e Trump conversaram por telefone por volta das 11h30 locais (00h30 no horário de verão em Brasília). A pauta teve como principal objetivo preparar a visita do presidente norte-americano ao Japão, entre 05 e 07 de novembro, disse o vice-porta-voz do Executivo japonês, Yasutoshi Nishimura.

Ambos os líderes concordaram trabalhar de forma conjunta para aumentar ainda mais a pressão sobre o regime liderado por Kim Jong-um, com o objetivo de por fim ao programa nuclear e de mísseis balísticos norte-coreano, acrescentou o porta-voz em declarações recolhidas pela emissora estatal ‘NHK’.

Durante a conversa, que se estendeu por cerca de 30 minutos, Trump também felicitou Abe pela vitória nas eleições gerais antecipadas, no domingo (22), com o governante Partido Liberal Democrata (PLD) e o parceiro de coalizão Komeito, conquistando ampla maioria dos votos, cerca de dois terços na Câmara Baixa do Parlamento.

O primeiro-ministro japonês tinha justificado a antecipação das eleições, um ano antes do final da legislatura, pela necessidade de contar com um forte apoio popular para fazer frente à ameaça norte-coreana, assim como para ultimar a aplicação do seu ambicioso programa de reformas econômicas.

Do Mundo-Nipo
Fontes: Agência Lusa | NHK World News.

Notícias relacionadas

» Coalizão de Abe vence eleições no Japão
» Coreia do Norte diz que Japão corre risco de ver “nuvens nucleares”

»Japão inicia eleição geral com votação antecipada
» Governadora de Tóquio desafia a elite política do Japão
» Japão terá eleições antecipadas

Comentários