Notícias

Dólar fecha praticamente estável, com investidores atentos a crise na Grécia

O dólar encerrou a semana com alta acumulada em 0,84%.

Do Mundo-Nipo com Agências

O dólar fechou perto da estabilidade frente ao real nesta sexta-feira (26), com investidores divididos entre a melhora da percepção de risco no mercado local e a preocupação com o impasse na negociação da Grécia com os credores internacionais.

A moeda norte-americana encerrou o dia com leve variação positiva de 0,003%, cotada a R$ 3,1282 na venda, após subir 0,86% na véspera. Com o resultado de hoje, a moeda fecha a semana com alta acumulada de 0,84%, após três semanas seguidas de queda. No mês, o dólar tem acumulado perdas de 1,86%. No ano, porém, há valorização de 17,66%.

Segundo dados da BM&F, o movimento financeiro de hoje ficou em torno de US$ 1,3 bilhão, contra cerca de US$ 850 milhões observados na véspera.

De acordo com a agência Valor Online, o euro caía 0,23%, cotado a R$ 3,4963, acompanhando o enfraquecimento da moeda frente ao dólar diante do impasse da negociação da Grécia com os credores, que alimenta a aversão a risco no exterior.

Nesta sexta-feira, depois de rejeitar a proposta dos credores de uma extensão de cinco meses do atual programa de resgate, o primeiro-ministro da Grécia, Alexis Tsipras, convocou uma reunião de emergência para discutir a situação da liberação de novas parcelas do financiamento ao governo grego.

No sábado, está marcado uma reunião do Eurogrupo, que reúne os ministros das Finanças da zona do euro, para tentar chegar a um acordo sobre a situação da Grécia. O governo grego precisa da liberação de novas parcelas do programa de resgate para pagar a dívida de 1,6 bilhão de euros com o Fundo Monetário Internacional (FMI) que vence em 30 de junho.

No Brasil, a perspectiva de que o Banco Central continue elevando os juros sustentou expectativa de entradas de capitais externos no país, o que aliviaria as cotações aqui.

Na véspera, o governo fixou a meta de inflação medida pelo IPCA em 4,5% ao ano, para 2017, mas reduziu a margem de tolerância para 1,5 ponto percentual para mais ou para menos, ante os atuais 2 pontos, o que reforçou a perspectiva de que o Banco Central está mais comprometido com o combate a inflação..

No mercado de juros futuros, investidores apostam que a taxa básica de juros, atualmente a 13,75%, deve subir a 14,75% ao fim do atual ciclo de aperto monetário.

Analistas ainda destacam o fato do real ter sido uma das moedas que mais caíram ontem, o que limitou a compra de dólares no pregão desta sexta-feira.

Atuação do Banco Central no câmbio
Nesta manhã, o BC vendeu a oferta total de até 5.200 contratos oferecidos no leilão de swap cambial (contratos equivalentes à venda de dólares no mercado futuro). Com isso, repôs o equivalente a US$ 5,713 bilhões ao todo, ou por volta de 65% do lote total, que corresponde a US$ 8,742 bilhões que expira mês que vêm. Se mantiver o mesmo ritmo, o BC deve renovar apenas 69,84% do lote total.

Os leilões de rolagem servem para adiar os vencimentos de contratos que foram vendidos no passado.

(Com informações das agências Reuters e Valor Online)

*Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Comentários

Deixe um comentário