Política

Japão demarca área no mar em Okinawa para construção de base área dos EUA

Boias e flutuadores estão sendo instalados na costa de Henoko para abrigar a base que será transferida de Futenma.

Do Mundo-Nipo

O Japão começou a instalar boias ao largo da costa da província de Okinawa, no sul extremo sul do país, para demarcar uma área designada para a construção da nova base aérea do Corpo de Fuzileiros Navais dos Estados Unidos.

 

Japão demarca área para construção de nova base dos EUA em Okinawa (Imagem: Reprodução/NHK)

Estão sendo instalados boias e flutuadores ao largo da costa de Henoko (Imagem: Reprodução/NHK)

 

Os governos de Japão e Estados Unidos planejam transferir a base aérea norte-americana em Futenma, de uma área densamente povoada em Ginowan para a região de Henoko, em Nago. Ambas as cidades estão localizadas na ilha principal de Okinawa.

Nesta quinta-feira, o escritório regional de defesa de Okinawa passou a instalar boias e flutuadores ao largo da costa de Henoko, enquanto embarcações da Guarda Costeira Japonesa faziam a vigilância. A área será aterrada para abrigar duas pistas de pouso e decolagem.

Em junho, o governo japonês designou temporariamente as águas como zona proibida. As autoridades de defesa planejam iniciar a perfuração no local assim que mapearem o leito do mar.

A autorização de transferência da base militar americana de Futenma para a zona norte da ilha principal da região aconteceu no final do ano passado. Desde então, o governo tem enfrentado forte oposição da população local, bem como de ambientalistas, que apontam Henoko como uma área litorânea protegida por possuir um rico ecossistema.

No início de junho, uma pesquisa da Agência Kyodo mostrou que 65,4% dos 1.204 entrevistados em 12 diferentes postos de votos em Nago se opuseram a construção da base em Henoko, enquanto 13,3% apoiaram a transferência.

(Com informações da NHK News e Agência Kyodo)

 


Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Comentários

Deixe uma resposta