Política

Paquistão acusa Índia de matar outro soldado seu na Caxemira

O Exército paquistanês anunciou nesta quarta-feira que apresentará um protesto pela morte de um de seus soldados.

Da agência EFE

Islamabad, 16 jan (EFE).- O Exército paquistanês anunciou nesta quarta-feira que apresentará um protesto pela morte, ontem à noite, de um de seus soldados por disparos de militares indianos na Caxemira, o quinto militar de um dos países a morrer em dez dias nessa disputada região.

Em comunicado, as Forças Armadas paquistanesas afirmaram que entrarão em contato por telefone com o lado indiano para “protestar energicamente pelas violações do cessar-fogo de ontem à noite”, quando morreu o militar identificado como Naik Ashraf.

De acordo com a informação oficial paquistanesa, o incidente aconteceu, sem provocação prévia, entre 22h e 23h locais nos setores de Hot Spring e Jandrot, próximos à Linha de Controle (LoC).

A LoC é a linha de cessar-fogo estipulada em 2003 e separa as zonas da Caxemira controladas respectivamente por Índia e Paquistão.

Esse novo incidente se soma a outros que desde o início do ano vêm sendo protagonizados por ambos os Exércitos na região, dividida desde 1947 entre as duas potências nucleares, que travaram duas guerras e vários conflitos menores por sua soberania.

Entre os dias 6 e 10 de janeiro, houve pelo menos três enfrentamentos na Caxemira, nos quais perderam a vida quatro militares, dois de cada lado.

Na segunda-feira passada, comandantes militares de ambos os lados se reuniram em um posto fronteiriço na Caxemira para abordar os incidentes ocorridos, embora não tenha sido detalhado o que foi falado no encontro.

Há poucos dias, as autoridades paquistanesas se mostraram dispostas a deixar a investigação sobre as violações do acordo fronteiriço a cargo do Grupo de Observadores Militares das Nações Unidas.

No entanto, um dos pesos pesados do Governo indiano, o ministro das Finanças, P. Chidambaram, descartou na semana passada essa possibilidade. EFE

 

Agência EFE – Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem a autorização prévia por escrito da Agência EFE S/A.

Comentários

Deixe de comentário

*