Política

Japão tenta confirmar situação de 10 japoneses desaparecidos na Argélia

O Japão trabalha para confirmar a situação de dez de seus cidadãos desaparecidos.

Da agência EFE

Tóquio, 21 jan (EFE).- O Japão trabalha para confirmar a situação de dez de seus cidadãos desaparecidos após o ataque de um grupo salafista a um campo de gás em In Amenas, no sudeste da Argélia, liberado no sábado em uma operação das forças especiais argelinas.

O vice-ministro parlamentar das Relações Exteriores do Japão, Minoru Kiuchi, e o presidente da firma japonesa de engenharia JGC – que mantinha 78 funcionários na planta, entre eles 17 japoneses – estão em In Amenas para tentar verificar a situação “in loco”, segundo noticiou a “NHK”.

Além dos dez japoneses, a JGC disse no domingo que desconhece o paradeiro de outros sete de seus funcionários de outras nacionalidades que também estavam no local.

Nem as autoridades de Tóquio nem a JGC confirmaram até agora dados sobre vítimas japonesas, mas alguns meios locais repercutem que a televisão argelina dizia neste domingo que nove japoneses teriam morrido só no primeiro dia do sequestro de reféns.

Segundo o relato de trabalhadores argelinos no local, seis deles teriam sido assassinados em instalações residenciais adjacentes ao complexo, enquanto os outros três teriam perdido a vida em um ônibus tomado pelos militantes, segundo a agência “Kyodo”.

No entanto, o porta-voz do Governo japonês, Yoshihide Suga, e a empresa JGC assinalaram na madrugada desta segunda-feira que estas informações ainda não foram verificadas.

Suga também explicou que as autoridades devem enviar um avião para repatriar o mais rápido possível os sete reféns japoneses que sobreviveram ao ataque. EFE

 

Agência EFE – Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem a autorização prévia por escrito da Agência EFE S/A.

Comentários

Deixe de comentário

*