Notícias

Lançamento norte-coreano leva aéreas do Japão a alterar rotas de voos

October 4th, 2013 : Tokyo, Japan - Airplanes of All Nippon Airlines, or ANA, and Japan Airlines, or JAL, were seen at Tokyo International Airport, Ota, Tokyo, Japan on October 4, 2013. The airport would increase number of airliners on international flights next year, and Ministry of Land, Infrastructure, Transport and Tourism decided two days ago decided to give ANA 11 flights and JAL five. (Photo by Koichiro Suzuki/AFLO)

As mudanças ocorrerão a partir de segunda-feira (8) e afetarão rotas de aviões que sobrevoam águas ao largo das Filipinas.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

As companhias aéreas japonesas All Nippon Airways (ANA) e Japan Airlines (JAL) anunciaram, nesta sexta-feira (5), que irão realizar mudanças em algumas rotas de voos devido à intenção anunciada pela Coreia do Norte de lançar em breve um foguete de longo alcance para em órbita um suposto satélite.

As mudanças ocorrerão a partir da próxima segunda-feira (8). A data em específico é por conta do prazo dado pelo regime liderado por Kim Jong-um, que comunicou a várias organizações internacionais, na última terça-feira, o lançamento de um “satélite” entre os dias 8 e 25 de fevereiro.

Alterações da ANA afetarão voos regulares que ligam Tóquio a Manila e entre Jacarta e Tóquio. As mudanças da JAL serão nas rotas entre Jacarta e Tóquio e entre Tóquio à Manila. Durante essas alterações, os voos nessas rotas devem sofrer atrasos entre cinco e dez minutos, segundo as duas companhias aéreas.

A intenção das companhias aéreas é desviar os aviões que sobrevoam as águas ao largo das Filipinas, onde se acredita que os fragmentos do foguete caiam após seu lançamento.

Embora Coreia do Norte afirme que o lançamento do suposto foguete tenha fins puramente científicos, a comunidade internacional o considera como parte de seu programa de desenvolvimento de mísseis balísticos intercontinentais e que deu origem a novas sanções das Nações Unidas contra Pyon.

Apesar de o governo do ditador Kim Jong-un insistir que se trata de um programa espacial de caráter exclusivamente científico, a comunidade internacional considera que os lançamentos são testes de mísseis balísticos camuflados e que fazem parte de seu objetivo para obter mísseis nucleares, em violação de resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas, no qual Japão foi recentemente eleito como membro.

Além disso, o anuncio ocorre no momento em que as Nações Unidas preparam uma resolução para agravar as sanções contra a Coreia do Norte. As sanções são por conta do anúncio de Pyongyang em 6 de janeiro deste ano, no qual afirma que realizou seu primeiro teste com uma bomba nuclear de hidrogênio.

Desde a semana passada, o Japão se posicionou de forma defensiva, quando o governo ordenou às forças de autodefesa do país para se preparem diante da possibilidade do lançamento de míssil por parte da Coreia do Norte.

Na quarta-feira (3), o ministro japonês da Defesa, Gen Nakatani, disse que emitiu ordem expressas às Forças de Autodefesa do Japão para abater quaisquer mísseis balísticos que ameaçarem o território japonês.

Nakatani afirmou a repórteres que “destróieres Aegis transportando mísseis interceptores SM3 já se encontram à postos no Mar do Japão e no Mar da China Oriental”.

Fontes: Agência Kyodo | NHK News.

Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •