Notícias

Ameaças da Coreia do Norte leva Japão a comprar mísseis de defesa

Sistema antimísseis do Japão (Foto: Arquivo/ Força Marítima de Autodefesa do Japão)

Japão não quer mais depender apenas dos Estados Unidos para atingir bases inimigas.

O ministro de Defesa do Japão, Itsunori Onodera, anunciou que seu país vai adquirir mísseis de médio alcance capazes de atingir a Coreia do Norte, no que se tornará a arma de maior alcanse de um país impedido de promover guerras por conta de sua Constituição pacifista.

Ao anunciar a planejada aquisição, Onodera não se referiu à Coreia do Norte, mas afirmou que os novos mísseis serão usados para defesa, já que o Japão depende dos Estados Unidos para atingir bases inimigas.

“Estamos planejando introduzir o JSM (sigla para mísseis conjuntos de ataque) que serão montados nos caças F-35 como mísseis que podem ser disparados além do alcance das ameaças do inimigo”, disse Onodera em entrevista coletiva, segundo noticiou hoje (8) a agência ‘Reuters’.

O anúncio ocorre menos de um mês após o governo japonês firmar uma parceria com o Reino Unido para desenvolver um novo tipo de míssil ar-ar (AAM, na sigla em inglês), no que será o primeiro projeto de equipamentos de defesa de Tóquio com um parceiro além dos Estados Unidos.

De acordo com a publicação do jornal japonês Nikkei, a arma planejada incorporará um poderoso sistema de radar desenvolvido pela Mitsubishi Electric no míssil Meteor, do fabricante europeu MBDA, o que combinará longo alcance e alta precisão.

Um protótipo será construído a partir do ano fiscal de 2018, que inicia em março próximo. Os testes com fogo real no Reino Unido deverão começar já no ano fiscal de 2023, momento em que Tóquio e Londres decidirão se o projétil será produzido em massa para comercialização.

Segundo o ‘Nikkei’, a intenção é que o novo míssil se torne um dos equipamentos balísticos do caça furtivo da quinta geração F-35, fabricado pelos EUA, e que atualmente integra a Força Aérea de Autodefesa do Japão.

Ainda de acordo com o ‘Nikkei, as exportações para países como Alemanha e França também serão consideradas pelos dois países.

O governo japonês e o britânico esperam anunciar a parceria da produção de mísseis – que atualiza um acordo de pesquisa existente – em uma declaração conjunta após uma reunião de seus principais funcionários diplomáticos e de defesa programada para 14 de dezembro em Londres.

Do Mundo-Nipo
Fontes: Reuters | Nikkei.

Notícias relacionadas
» Japão e Reino Unido se unem no desenvolvimento de novo míssil

» Primeiros F-35 chegam ao Japão para reforçar segurança na região

» Japão oficializa aquisição de 42 unidades de caças F-35A