Notícias

Mais de 80% dos japoneses são a favor que mulheres ascendam ao trono

Foto: Reprodução/Kyodo

População japonesa deseja que a filha única do imperador Naruhito, a princesa Aiko, seja a primeira na linha de sucessão do trono japonês.

Uma pesquisa realizada pela Kyodo News revelou que 81,9% dos japoneses entrevistados são a favor da ideia de o Japão ter uma imperatriz, enquanto 13,5% indicaram que são contra.

As preocupações persistem sobre a estabilidade da sucessão imperial do Japão, visto que a Lei da Casa Imperial, de 1947, estipula que apenas herdeiros homens podem subir ao trono.

Após a entronização do imperador Naruhito, de 59 anos, a família agora tem apenas três herdeiros: o irmão mais novo do imperador, o príncipe herdeiro Fumihito, de 53 anos; o filho do príncipe herdeiro, o príncipe Hisahito, de 13 anos; e o príncipe Hitachi (Masahito), de 83 anos, irmão mais novo do imperador emérito Akihito.

O imperador Naruhito e a imperatriz Masako têm uma filha, a princesa Aiko, de 17 anos, que deveria ser a herdeira natural do trono, ou seja, a primeira na linha sucessória do trono japonês.

Além dela, há outras mulheres na família imperial, mas a lei exige que membros do sexo feminino da realeza japonesa abandonem seu status de princesa depois de casar com plebeus.

Quanto à possibilidade de permitir que herdeiros da linhagem feminina subam ao trono, 70,0% dos inquiridos apoiaram a ideia, enquanto 21,9% foram contra.

Realizada no último final de semana, a pesquisa telefônica foi de âmbito nacional e abrangeu 732 domicílios selecionados aleatoriamente com eleitores elegíveis, além de 1.282 números de telefones celulares.

Medidas para garantir a sucessão imperial

No início da semana passada, um grupo conservador do Partido Liberal Democrático do primeiro-ministro, Shinzo Abe, finalizou propostas para permitir que homens de ramos distantes da família imperial, mas que não são membros oficiais, se juntem a Casa Imperial, uma medida que visa garantir uma sucessão estável na linha masculina.

A ideia é que membros solteiros dos antigos ramos da realeza japonesa se juntem à família imperial por adoção ou casamento, se assim o desejarem.

Foi sugerido a criação de uma lei para permitir essa junção como uma medida “emergencial”, no lugar de revisar a Lei da Casa Imperial, que é contra permitir que as mulheres permaneçam membros da família imperial após o casamento, visto que as princesas se veem sem pretendentes homens na escassa família imperial, cujos membros totalizam apenas 19, incluindo crianças e idosos.

Entronização

O imperador Naruhito proclamou oficialmente sua entronização em uma cerimônia de estilo antigo na terça-feira passada, diante de cerca de 2.000 convidados, incluindo dignitários de cerca de 190 países e organizações internacionais.

SAIBA MAIS
Imperador Naruhito ascende oficialmente ao trono do Japão
Japão está preocupado com o futuro sucessório da família imperial

Naruhito se tornou o 126º imperador do Japão em 1º de maio, um dia depois de seu pai, o ex-imperador Akihito, deixar o cargo – o primeiro monarca japonês a fazê-lo em cerca de 200 anos.

Da Kyodo News / Tradução e Edição do Mundo-Nipo.com (MN).

👉 Saiba mais sobre a Família Imperial do Japão.