Mais Esportes

Resultados do sorteio e os adversários do Japão na Copa do Mundo de 2014

O Japão teve sorte no sorteio e ficou em um grupo relativamente fácil.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Do Mundo-Nipo

O sorteio que definiu as chaves das seleções que vão disputar a Copa do Mundo de 2014, no Brasil, aconteceu nesta sexta-feira (6), na Costa do Sauipe, na Bahia.

 

Copa do Mundo de 2014 (Imagem: Divulgação)

O Japão teve sorte no sorteio e ficou em um grupo relativamente fácil (Imagem: Divulgação)

 

Confira o resultado do sorteio:

Grupo A:
Brasil, Croácia, México e Camarões

Grupo B:
Espanha, Holanda, Chile e Austrália

Grupo C:
Colômbia, Grécia, Costa do Marfim e Japão

Grupo D:
Uruguai, Costa Rica, Inglaterra e Itália

Grupo E:
Suíça, Equador, França e Honduras

Grupo F:
Argentina, Bósnia-Herzegóvina, Irã e Nigéria

Grupo G:
Alemanha, Portugal, Gana e Estados Unidos

Grupo H:
Bélgica, Argélia, Rússia e Coreia do Sul.

 

Saiba mais sobre o Japão e as seleções do Grupo C:

JAPÃO

Títulos: 4 Copas da Ásia (1992, 2000, 2004 e 2011)

Participações em Copas:
4 (1998, 2002, 2006 e 2010)
melhor participação: oitavas de final em 2002 e 2010

Campanha nas eliminatórias: vencedor do grupo da Austrália (8 vitórias, 3 empates e 3 derrotas)

Confrontos recentes contra o Brasil: Brasil 4×0 em outubro de 2012, Brasil 3×0 em junho de 2013

Jogadores históricos: Kazu (atacante, desde 1986) e Hidetoshi Nakata (meia, 1995 a 2006)

Jogos em Copas contra o Brasil: Brasil 4×1 na 1ª fase em 2006

O Japão possui uma das maiores colônias de imigrantes no Brasil e também inverteu o fluxo, recebendo brasileiros descendentes de japoneses.

Nas suas quatro participações em Mundiais, sempre contou com jogadores nascidos no Brasil. Em 2006, ainda foi treinado por Zico, que ajudou a desenvolver o futebol japonês no fim da sua carreira.

O estilo da seleção nipônica é de toque de bola e habilidade nas jogadas de ataque. Oito jogadores atuam na Alemanha. Mas as estrelas japonesas são os meias Honda, 27, do russo CSKA Moscou, e Kagawa, 24, que brilhou no Borussia Dortmund e frequenta a escalação titular do inglês Manchester United.

Nas eliminatórias asiáticas, não se impôs com tanta facilidade como em campanhas anteriores. Perdeu para Uzbequistão, em casa, Coreia do Norte e Jordânia, ambas como visitante.

 

COLÔMBIA

Título: Copa América de 2001

Participações em Copas:
4 (1962, 1990, 1994 e 1998)
melhor participação: oitavas de final de 1990

Campanha nas eliminatórias: vice-líder, abaixo da Argentina (9 vitórias, 3 empates e 4 derrotas)

Confrontos recentes contra o Brasil: 1×1 em novembro de 2012

Jogadores históricos: Carlos Valderrama (meia, 1981 a 202) e René Higuita (goleiro, 1985 a 2010)

Jogos em Copas contra o Brasil: –

A Colômbia possui uma geração de muito talento, capaz de concorrer com a turma de Valderrama, Rincón, Asprilla e Higuita, que brilhou nas décadas de 1980 e 1990.

Pela primeira vez, será cabeça de chave no sorteio de um Mundial. Mas, como em 1994, o excesso de confiança pode atrapalhar a equipe, que carece de experiência em competições deste nível.

O time toca bem a bola e é bastante ofensivo, com laterais que se transformam em pontas, meias criativos e atacantes goleadores. A defesa, porém, fica sob risco. Yepes e Perea, que formam a dupla de zaga, terão respectivamente 35 e 38 anos na Copa.

O grande ídolo é o artilheiro Falcao García, 27, mas há vários atletas que fizeram ótimas temporadas na Europa.

 

COSTA DO MARFIM

Título: Copa da África (1992)

Participações em Copas:
2 (2006 e 2010)
melhor participação: sempre eliminado na 1ª fase

Campanha nas eliminatórias: superou Marrocos e, no último confronto, Senegal (5 vitórias, 3 empates e 0 derrota)

Confrontos recentes contra o Brasil: –

Jogadores históricos: Alain Gouaméné (goleiro, 1986 a 2000) e Ibrahima Bakayoko (atacante, desde 1994)

Jogos em Copas contra o Brasil: Brasil 3×1 na 1ª fase em 2010

As rebeliões que dividiram Costa do Marfim nas últimas décadas serviram para unir os jogadores da seleção. O artilheiro Drogba, 35, continua sendo o líder agregador. Mas a melhor referência técnica do time atualmente é o versátil meio-campista Yaya Touré, 30.

A equipe, muito forte fisicamente e veloz, possui ataque perigoso, porém a defesa não se acerta.

A chamada “geração de ouro” não conquistou nenhum título para o selecionado, mas conseguiu as três classificações do país para Mundiais. Em 2006 e 2010, porém, não passou da primeira fase.

 

GRÉCIA

Título: Eurocopa (2004)

Participações em Copas:
2 (1994 e 2010)
melhor participação: sempre eliminada na 1ª fase

Campanha nas eliminatórias: vice-líder do grupo da Bósnia-Herzegóvina, bateu a Romênia na repescagem (9 vitórias, 2 empates e 1 derrota)

Confrontos recentes contra o Brasil: –

Jogadores históricos: Angelos Charisteas (atacante, 1997 a 2013) e Antonios Nikopolidis (goleiro, 1987 a 2011)

Jogos em Copas contra o Brasil: –

Como a equipe campeã da Eurocopa de 2004 com defesa quase intransponível, a seleção grega atual tem como ponto forte o sólido sistema defensivo e possui um ataque bastante econômico

Há dois remanescentes da campanha do título: os volantes Katsouranis, 34, e Karagounis, 36. A média de idade do time-base é alta: 28 anos.

Em excelente fase, o artilheiro Mitroglu, 25, do Olympiacos, marcou cinco gols nas eliminatórias europeias. Ele e o também atacante Salpingidis, 32, autor de quatro, fizeram mais da metade dos gols gregos.

A Grécia é um dos países mais afetados pela crise financeira que começou em 2008, e seu futebol ainda sofre com seus efeitos.

 


Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta