Mais Esportes

Lesão impede Nishikori de faturar o título do Masters de Madri

Uma lesão no quadril atrapalhou a boa atuação de Nishikori e Nadal foi premiado com o tetra do torneio em Madri.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Do Mundo-Nipo

Kei Nishikori esteve próximo de conquistar seu primeiro título do Masters 1.000 de Madri, mas uma lesão no quadril, sentida durante a partida, acabou encerrando precocemente a decisão no domingo entre ele e Rafael Nadal. Mesmo longe de exibir seu melhor tênis, o número um do mundo foi beneficiado pela desistência do japonês no terceiro set, e faturou pela quarta vez o torneio madrileno.

 

Lesão impede Kei Nishikori de faturar o título do Masters de Madri (Foto: Kyodo)

Nishikori havia vencido o primeiro set por 6/2, e Nadal o segundo, por 6/4 (Foto: Kyodo)

 

No momento em que o japonês se retirou da competição, a partida estava empatada em sets e o tenista da casa tinha a vantagem no terceiro por 3/0. Nishikori havia vencido o primeiro set por 6/2, e Nadal o segundo, por 6/4.

“Estou muito triste pelo que aconteceu. Essa era minha primeira final de Masters 1.000 e estava bem animado. Infelizmente eu já estava machucado, estava tentando lutar, mas Rafa foi melhor”, disse um triste Nishikori ao receber o troféu de vice-campeão.

Desde quando se classificou para as semifinais em Madri, Nishikori já sabia que iria fazer história. A ATP divulgou a atualização do ranking nesta segunda-feira. O jogador de 24 anos é o primeiro tenista do Japão a integrar o top 10 e agora é o número nove do mundo. O último asiático a figurar no grupo dos dez melhores tenistas do mundo foi o tailandês Paradorn Srchapan, que ocupou a 10ª posição em 2004.

Nadal, por sua vez, também tem motivos para comemorar em relação ao ranking. Ao ter mantido o título do Masters 1.000 de Madri, o espanhol teve o posto de número 1 do mundo assegurado até Roland Garros.

 

Nishikori sente dores e Nadal se aproveita

Kei Nishikori sente fortes dores no quadril durante a final do Masters de Madri (Foto: Kyodo)

Kei Nishikori sente fortes dores no quadril e recebe massagem no segundo set (Foto: Kyodo)

Após destruir Nadal no primeiro set, deixando a torcida madrilena calada, Nishikori manteve o mesmo ritmo no início do segundo set. Nadal tentava a todo custo uma reação. Vibrava intensamente quando confirmava o serviço, mas a toda hora via suas pretensões cortadas por um Nishikori que constantemente matava os pontos com bolas vencedoras incríveis. A história da partida, no entanto, começou a ser reescrita. Assim como havia acontecido nas quartas de final e na semifinal, o japonês pediu atendimento médico na altura do quadril, quando estava à frente por 4/3.

A parada não deu muita sorte para o japonês, que sentiu o quadril quando Nadal lhe mandou um ataque no contrapé. Foi justamente a bola que deu o duplo break point para o tenista da casa. Nishikori forçou a igualdade, mas teve o saque quebrado depois que a bola bateu na fita da rede e quicou fora de quadra. Em seguida, Nadal tomou a frente do set enquanto o japonês acusava dores no quadril a cada rebatida na bola. Perdendo por 5/4, o asiático ganhou uma massagem maior do fisioterapeuta na região dolorida. Não adiantou. Ainda tentando manter o ritmo apresentado anteriormente, Nishikori passou a ser mais estático e a errar mais, tomando a quebra e perdendo o segundo set por 6/4.

 

Nishikori desiste

Logo que acabou a parcial, Nishikori foi para o vestiário lentamente. Da mesma forma que foi, voltou: cabisbaixo. Manteve a mesma feição no rosto desde o início do terceiro set e, quando teve o serviço em mãos pela primeira vez, mal conseguia imprimir força no saque. Nas devoluções, nem se movimentava direito na linha de base. Quando Nadal fez 3/0, Nishikori caminhou lentamente para o banco. Se sentou e pensou no que iria fazer. Logo veio a decisão do japonês, que foi cumprimentar o espanhol para assinalar a desistência da partida. Fonte: SPORTV.

 


Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta